Diário da Serra

Suspeitos de matar e ocultar cadáver de agricultor para liquidar dívida de R$ 50 mil são denunciados em MT

G1 MT 12/01/2019 Polícia
Polícia

Quatros homens suspeitos de matar e ocultar o cadáver do agricultor Elizeu Chiodi, de 40 anos, morto em março de 2018, foram denunciados nesta sexta-feira (11), pelo Ministério Público Estadual (MPE), que também solicitou a conversão da prisão temporária em preventiva. O crime ocorreu em Feliz Natal, a 518 km de Cuiabá.

 

Foram denunciados, Eduardo dos Santos Macedo, Jeová de Souza Rocha, João Iris Gomes Souza e Erielson Santos Macedo e Roberto dos Santos Mizael.

 

Desses, os três primeiros cumprem prisão temporária e Roberto está foragido.

 

Por ter colaborado nas investigações, o MPE requereu que, para Erielson, irmão de Eduardo, sejam aplicadas medidas cautelares diversas da prisão.

 

Eduardo é investigado como mandante do crime. Roberto foi denunciado por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Segundo relatado, ele teria recebido uma motocicleta para cometer o crime.

 

Jeová e João foram denunciados por homicídio qualificado. Já Erielson foi denunciado por estelionato, por ter recebido um cheque furtado e utilizado para pagar a parcela de um veículo.

 

O caso

 

Segundo a denúncia, no dia 10 de março do ano passado, o agricultor, que morava em Vera, a 486 km de Cuiabá, teria saído de casa dizendo que ia a Feliz Natal para cobrar uma dívida de R$ 50 mil. Desde então, ele havia desaparecido.

 

O carro da vítima foi encontrado no dia 20 de março, em um propriedade, na zona rural de Nova Ubiratã, a 506 km da capital. No dia 7 de maio, a polícia encontrou restos mortais que, por meio de exames de DNA, foi comprovado que seriam de Elizeu.

 

De acordo com a denúncia do Ministério Público, cansado das constantes cobranças feitas pelo agricultor, Eduardo teria planejado matá-lo para se livrar da dívida.

 

Para atrair a vítima até Feliz Natal, Eduardo teria dito que o levaria até um comprador de defensivos agrícolas para amortizar a dívida.

 

Ainda segundo o MPE, o trajeto da vítima entre Vera e Feliz Natal, teria sido monitorado por meio de ligações.

Notícias da editoria