Diário da Serra

Ex-gerente do Bic Banco depõe por 3h e evita a imprensa na saída

Midia News 13/06/2019 Polícia
Polícia

O ex-superintendente do BicBanco de Mato Grosso, Luis Carlos Cuzziol, foi reinterrogado, na tarde desta quarta-feira (12), pelo juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal de Mato Grosso. O ex-superintendente falou à Justiça Federal e ao Ministério Público Federal por cerca de três horas nesta quarta. Na saída, preferiu não dar declarações à imprensa.

 

Cuzziol firmou um acordo de delação premiada em abril deste ano, que foi homologado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF).

 

Segundo informações, as declarações dão detalhes de como funcionava o esquema de lavagem de dinheiro, corrupção e financiamento de campanha investigado no âmbito da Operação Ararath. O processo trata de acusação de prática de inúmeras operações ilícitas de empréstimos bancários concedidos à pessoa jurídica Ortolan Assessoria e Negócios Ltda e que tinham como garantia créditos fictícios junto ao Governo do Estado.

  

A ação corre em sigilo e, por isso, o advogado Rodrigo Batista da Silva, que faz a defesa de Cuzziol, não quis dar mais detalhes. "Ele está prestando todos os esclarecimentos à Justiça e contribuindo com que é necessário", disse o advogado.

Cuzziol, alvo da 5ª e 6ª fase da Operação Ararath, já foi condenado em três ações penais. As investigações do Ministério Público Federal (MPF) apontam que ele teria ajudado o ex-secretário de Estado Eder Moraes a lavar dinheiro.

 

O advogado Fabian Feguri, defesa do ex-secretário Eder Moraes, afirmou que o depoimento de Cuzziol trouxe novas informações à ação penal.

 

"Eu só não sei até que ponto isso pode gerar novos desdobramentos na operação. Eu já pedi o reinterrogatório do Eder Morais, que já foi deferido. Só falta o juiz definir uma data", disse Feguri.

 

Ele afirmou, porém, que a delação ainda não foi anexada no processo que corre na Vara Federal.

 

"Eu fiz o pedido em audiência para que a delação fosse anexada ao processo e provavelmente será", disse Feguri.

 

R$ 12 milhões

 

Segundo a ação, Cuzziol também teria usado o Bic Banco para conceder empréstimos, de forma fraudulenta. O Banco Industrial e Comercial S/A (BicBanco) foi vendido em 2013 para um grupo de chineses e, atualmente, se chama oficialmente China Construction Bank. 

 

O prejuízo estimado é de R$ 12 milhões, pagos à empresa por meio da simulação de prestação de serviços na área de consultoria e assessoria em gestão governamental.

Notícias da editoria