Diário da Serra

Em dez meses, Polícia Civil cumpre 536 mandados de prisões de foragidos da justiça

Assessoria / PJC-MT 04/11/2019 Polícia

O mês de outubro teve 126 mandados cumpridos por equipes da Polinter, superando meta dos anos anteriores

Polícia

A Polícia Judiciária Civil, por meio do trabalho das equipes da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (GEPOL) encerrou o mês de outubro com o cumprimento de 126 mandados de prisões decretados pela justiça.

 

O número é o maior dos primeiros 10 meses do ano superando a meta proposta pela direção da unidade e alcançando o número total de 536 mandados cumpridos até outubro.

 

As prisões realizadas são de pessoas procuradas pela justiça e que tiveram envolvimento na prática de diferentes crimes. “O resultado alcançado é fruto do empenho e dedicação das equipes de policiais que compõe o quadro da unidade e que trabalharam de maneira incansável para superar as metas propostas”, destaca a delegada da Polinter, Silvia Maria Pauluzi.

 

Entre as diligências investigativas busca e captura de criminosos houve a localização de Everton Antônio Alves da Silva, suspeito de envolvimento em desvio, furto e roubo de carga. O homem foi preso pela equipe da Polinter no início do mês de outubro, em Várzea Grande, e posteriormente recambiado para o estado de São Paulo.

 

Criminosos que atuam no arrombamento de caixas eletrônicos e explosões a terminais de autoatendimento também foram alvos das ações realizadas como a prisão, na última semana de Jefferson Mendes da Conceição, que age em ataque a instituições financeiras em vários estados do País.

 

Outro cumprimento de mandado efetuado em outubro foi em desfavor de Célio Roberto Rodrigues, que está preso na Penitenciária Central do Estado por crimes contra o patrimônio e contra a vida. Ele teve mandado de prisão expedido pela justiça de Rondônia, onde é investigado por crime sexual. Anteriormente, tinha sido preso em Manaus (AM), após fugir do Presídio Urso Branco, em Porto Velho. Célio Rodrigues é apontado pela polícia pela prática de mais de 40 crimes de estupros. Em Cuiabá, foi material genético do preso, para confrontação em exame de DNA, e que irá compor o Banco Nacional de Perfis Genéticos.

 

“O número alcançado no cumprimento dos mandados de prisões até então alcançados se deve ao comprometimento de toda a equipe e do apoio da Diretoria de Atividades Especiais, que contribui com as ferramentas necessárias à unidade para otimizar os trabalhos realizados”, pontua a delegada.

Notícias da editoria