Diário da Serra

Tangará aparece entre as 20 melhores gestões fiscais do estado, segundo Firjan

Paulo Desidério / Redação DS 13/01/2020 Geral

Índice observa fatores primordiais nas gestões para se chegar até a média geral

Município ficou em 19º lugar

Tangará da Serra tem a 19ª melhor gestão fiscal entre os municípios mato-grossenses. É o que diz o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), estudo divulgado pela Federação de Indústria do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que analisou dados entre os anos de 2013 a 2018.


Nos quatro quesitos que formam o indicador, Tangará obteve excelência (quando a pontuação é superior a 0,8 pontos) em Liquidez (0.9162) e Autonomia (1.0000). O município também registrou, segundo o índice, boa gestão (quando a pontuação é maior que 0,6 e 0,8 pontos) em gastos com pessoal (0,6299) e investimentos (0,6242). 


O município que obteve o primeiro lugar no estudo foi São Félix do Araguaia, com 0.9077, seguido de Alto Garças com 0.9042, Nova Xavantina com 0.8993. O top 5 é fechado com Santo Antônio do Leste, que registrou 0,8981 e Castanheira, com 0.8928. 


Entre municípios mais famosos ou da região, aparecem entre os 20 primeiros as cidades de Sapezal (8º lugar com 0.8736), Barra do Garças (11º com 0.8602) e Rondonópolis (20o com 0.7920).


Outro detalhe positivo é que Tangará da Serra superou seu próprio recorde no IFGF. A melhor pontuação havia sido obtida no ano de 2014, quando o município registrou 0.7792, marca superada com os 0.7926 de 2018. A média nacional do índice é de 0,4555. Cuiabá, a capital do estado, obteve 0.4931 pontos.


Em todo o centro-oeste brasileiro, 421 prefeituras tiveram as contas observadas no estudo. 60% tiveram gestão considerada crítica ou difícil no IFGF geral, o que equivale a 272 municípios. Na região, a média do IFGF geral foi de 0.5422 pontos. A nível de Brasil, 73,9% dos municípios (3.944 cidades) se encontram com situação crítica, de acordo com a medição promovida pela Firjan.

Notícias da editoria