Diário da Serra

Eleição suplementar ao Senado será dia 26 de abril

Mikhail Favalessa / RD News 23/01/2020 Política

Pleno também designou 25 de junho, uma quinta, como data da diplomação

Desembargador Gilberto Giraldelli, presidente do TRE-MT

Por unanimidade, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) marcou a eleição suplementar ao Senado para 26 de abril. A decisão foi dada seguindo voto do presidente do TRE-MT, desembargador Gilberto Giraldelli, que era o relator do processo que trata da substituição da senadora Selma Arruda (Pode), cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico.


Na sessão, nesta quarta-feira, 22, o Pleno também designou 25 de junho, uma quinta, como data da diplomação. Foi aprovada a minuta de resolução que dispõe sobre a escolha e o registro de candidatos, assim como o calendário. Outros temas como propaganda eleitoral e prestação de contas serão publicadas por meio de resoluções, que serão apreciadas pelos membros do TRE-MT.


A senadora teve a cassação do mandato confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em dezembro. Com a publicação do acórdão no dia 19 daquele mês, começou a contar o prazo para que o TRE-MT realize a eleição complementar para escolha de um novo senador para o cargo. Selma, vale lembrar, teve os direitos políticos cassados por oito anos. Gilberto Possamai (PSL), primeiro suplente, também ficou inelegível pelo mesmo período.


Uma minuta produzida pela área técnica do TRE-MT sugeriu o dia 26 de abril como a data mais adequada para a eleição suplementar. A Secretaria Judiciária do tribunal levou em conta o tempo necessário para realização de todas as etapas prévias à eleição, como convenções partidárias, registro de candidaturas, prazos para impugnação, julgamento de registros, propaganda eleitoral, entre outros.

Notícias da editoria