Diário da Serra

Apoio de Mendes ao Senado será anunciado após as convenções, garante Casa Civil

Olhar Direto 24/01/2020 Política
Política

O disputado apoio do Palácio Paiaguás nas eleições suplementares que vão escolher o novo senador de Mato Grosso só será anunciado após as convenções partidárias, que serão realizadas entre os dias 10 e 12 de março. A informação é do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, que lamentou a falta de consenso no grupo do governador, mas garantiu que Mauro Mendes (DEM) não tem perfil de quem fica em cima do muro.

 

Eu acho que o interessante é se tivéssemos um candidato único, esse é o trabalho, mas se não for possível, aí vamos ver como o Governo vai atuar nessa eleição. Dependendo do que acontecer, dependendo dos candidatos, dependendo do que for aprovado nas convenções, essa pode ser a decisão que o governador deverá tomar, de ficar neutro. Mas eu acho muito difícil, pela própria postura do governador, que sempre fez os enfrentamentos, é uma pessoa corajosa e de grupo. Então, com certeza o governador, no momento oportuno, deverá dar uma entrevista e colocar seu apoio”, afirmou Carvalho, em entrevista à TV Vila Real. 

 

O calendário da eleição suplementar foi definido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso na última quarta-feira (22). A data final para que os partidos registrem as candidaturas será 17 de março e o início da propaganda eleitoral gratuita nas emissoras de rádio e televisão será no dia 23 de março. O calendário para a eleição suplementar para senador começa já no mês de fevereiro. A eleição será no dia 26 de abril.

Na semana passada, ao ser questionado sobre quem apoiaria, Mauro Mendes desconversou e sustentou que “ainda é cedo” para se pronunciar sobre a questão. Assim como ele, grande parte das lideranças políticas no Estado aguardava a divulgação do calendário para iniciar, de fato, as articulações pela vaga de Selma Arruda (Pode), cassada por abuso de poder econômico uso de caixa 2 na campanha de 2018.

No final do ano passado, Mendes havia citado “coerência” e disse que, em caso de confirmação da cassação de Selma no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), iria manter seu apoio ao colega de chapa de 2018, Carlos Fávaro (PSD).

Confirmada a cassação, Mendes foi pego de surpresa com o anúncio de seu vice-governador, Otaviano Pivetta (PDT), que se lançou pré-candidato.  O governador acumula, ainda, a embaraçosa candidatura de Júlio Campos, um dos principais caciques do Democratas e que já se movimenta pelo Estado em ritmo de pré-campanha, mantendo conversas inclusive com grupos considerados de oposição ao governador, como do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB).

 

"Com a publicação do calendário eleitoral deverão ter algumas reuniões que vão acontecer lideradas pelo DEM, envolvendo todos esses pré-candidatos, para ver se a gente chega em uma conclusão final", concluiu Carvalho.

Notícias da editoria