Diário da Serra

Apesar da retração em dezembro, Tangará fecha ano com variação positiva de 818 empregos formais

Enfoque Business 27/01/2020 Geral
Geral

O município de Tangará da Serra fechou o ano de 2019 com um saldo de 818 empregos com carteira assinada. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta sexta-feira (24), em Brasília, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

 

Segundo o relatório do Caged, Tangará da Serra registrou 12.119 admissões contra 11.301 desligamentos, representando um saldo positivo de 818 empregos com carteira assinada ao longo de 2019. O número representa um percentual positivo de 6,75% no comparativo admissões/demissões.

 

Os setores que mais admitiram no município foram Comércio (4.767, saldo final positivo de 301 empregos), Serviços (3.012, saldo final positivo de 191), Indústria (1.536, saldo final positivo de 85), Agropecuária (1.389, saldo final positivo de 94) e Construção Civil (1.040, saldo final positivo de 98).

 

Em comparação com 2018, o município teve uma variação positiva de 4,6% no saldo entre admissões e desligamentos. Em 31 de dezembro daquele ano, Tangará da Serra registrou um acumulado anual de 11.252 contratações com carteira assinada ante 10.470 demissões.

 

Dezembro

Em dezembro de 2019, porém, houve mais demissões que admissões em Tangará da Serra. Segundo o Caged, o último mês do ano passado registrou 877 demissões contra 729 admissões, perfazendo um saldo negativo de 148 desligamentos a mais.

 

A explicação está nos contratos temporários de trabalho celebrados nos setores de comércio e serviços. Enquanto o comércio registrou 14 desligamentos a mais (331 admissões contra 345 demissões), o setor de serviços cravou 92 demissões a mais em relação às contratações (265 contra 173) com carteira assinada.

 

Outro setor que registrou saldo negativo (-47) no mês de dezembro foi o da construção civil. Ao todo, foram 44 admissões contra 91 desligamentos.

 

O saldo negativo do mês, porém, foi menor que em 2018. O último mês do ano retrasado registrou 169 demissões (907) a mais que as admissões (738).

Notícias da editoria