Diário da Serra

Profissionais da saúde alinham informações sobre novo coronavírus

Secom-MT 03/02/2020 Saúde

No momento, Mato Grosso não possui nenhum caso suspeito da doença

Saúde

Para alinhar os serviços de prevenção, detecção e controle do novo coronavírus, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) realizou na tarde de quinta-feira (30.01) uma reunião com profissionais das secretarias municipais de Saúde de Cuiabá e Várzea Grande.

 

Desde que os primeiros casos do novo vírus foram registrados na cidade chinesa de Wuhan, a população ficou apreensiva com a sua rápida propagação. No Brasil, o Ministério da Saúde tem produzido boletins epidemiológicos e atualização diariamente o número de casos suspeitos. Conforme o último boletim, divulgado neste domingo (02.02), 16 casos estão sob suspeita no Brasil, em Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Ceará e Rio Grande do Sul.

 

Embora Mato Grosso não tenha notificações de casos suspeitos, os profissionais da Saúde têm mantido contato constante com o MS para receber orientações sobre a possível entrada do vírus no território brasileiro.

Na reunião da última quinta-feira (30.01), os representantes municipais foram orientados para que sejam feitos exames laboratorias para investigação dos casos diagnosticados como possíveis suspeitos, conforme classificação de risco do Ministério da Saúde. 

 

Também foi repassado aos profissionais que os casos considerados sem gravidade podem ser acompanhados pelas unidades de Saúde da Atenção Primária. Aqueles que forem detectados como graves devem ser encaminhados à unidade de saúde de referência em Mato Grosso, o Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM). O Ministério Saúde divulgou uma lista com os nomes dos hospitais referência para o atendimento de eventuais casos graves.

 

Confira a lista por estado dos hospitais de referência para atender pessoas com suspeita do novo coronavírus.

 

Os profissionais de saúde dos demais municípios do Estado receberão as mesmas orientações por meio de uma nota técnica, que definirá o fluxo de atendimento. Esse documento está sendo elaborada pela SES-MT, Anvisa do Estado, HUJM e conta com o apoio da Casa Civil.

 

Se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus), estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) viajantes que estiveram na área de transmissão local do vírus, a China, nos últimos 14 dias e apresentam febre e, pelo menos, um sinal ou sintoma respiratório. A pessoa que manteve contato com esse viajante e apresenta esses mesmos sintomas também pode ser considerado um caso suspeito.

 

Reunião em Brasília

Todas essas ações em execução no Estado fazem parte do cumprimento de medidas solicitadas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que pediu aos 26 Estados e o Distrito Federal atualização dos planos de contingência com base na realidade local da cidade.

 

Nesta quinta-feira (06.02), o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, estará em Brasília para apresentar o diagnóstico da estrutura de saúde do estado durante reunião com o ministro e os demais gestores de outros estados.

 

“Estamos planejando e construindo um plano de ações para dar toda atenção necessária para identificação precoce do coronavírus, caso seja identificado alguma suspeita em Mato Grosso. Toda essa ação é necessária porque as característica e sintomas desta doença são parecidas com outras que temos aqui”, destacou o secretário. 

 

Aeroporto

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está orientando todos os Portos e Aeroportos do país com, por exemplo, áudios sobre medidas protetivas contra o vírus. Nesta semana, será feita uma reunião com a equipe da SES e representantes da Anvisa de Mato Grosso para fortalecer ainda mais os ajustes, protocolos e quais medidas devem ser adotadas com os viajantes de conexões internacionais que tenham como destino final o desembarque em Mato Grosso.

 

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza diariamente, às 12h, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica. A ação mostra que a pasta tem compromisso com a transparência das informações.

Notícias da editoria