Diário da Serra

Chuvas estão abaixo da média na região de Tangará da Serra; redução é de 54%

Rodrigo Soares / Redação DS 03/02/2020 Geral

Estatística concedida com exclusividade ao DS faz comparativo dos últimos 16 anos

Gráfico elaborado pelo setor de Agrometeorologia da Unemat

A região de Tangará da Serra apresenta uma diminuição considerável no volume de chuvas. Apesar de pancadas isoladas em algumas localidades, o início desse mês foi marcado pela ausência de chuvas volumosas, diminuição essa que vem sendo registrada ano após ano.


De acordo com o engenheiro agrícola Rivanildo Dallacort, que é Doutor em Agronomia e pesquisador na área de Agrometeorologia da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), o primeiro mês de 2020 apresentou um total de 132 milímetros em volume de chuva, sendo uma redução de 54% a média registrada nos últimos 16 anos na região, que é de 288 milímetros.


“Em uma análise mais aprofundada de janeiro de 2020, verificamos que somente no primeiro decêndio do mês (1 a 10 de janeiro) a chuva acumulada se assemelha ao esperado para a região. No segundo (11 a 20 de janeiro) e terceiro (21 a 27 de janeiro) decêndios, os acumulados foram bem abaixo do esperado, considerando os dados de 2004 a 2019”, explicou o profissional, destacando que os valores registrados para o primeiro, segundo e terceiro decêndios desse ano foram 101,86; 21,58 e 8,63 mm, respectivamente, representando uma variação percentual de 4,66; -78,42 e -90,57%.


Conforme o especialista, dados coletados na região da Unemat ainda revelam que um comparativo entre  janeiro de 2020 com o mesmo período do ano passado, a redução foi de 51 milímetros, o que representa uma queda de 28%.


“Considerando os meses mais chuvosos (outubro a abril), a média é de 1505 mm para Tangará da Serra. De outubro de 2019 a janeiro de 2020, foram registrados 648 mm. Se nos meses de fevereiro, março e abril de 2020 chover dentro da média (624 mm), ainda haverá um déficit de 233 mm em relação à média histórica, uma redução de 15%”, revela o estudo elaborado e concedido com exclusividade ao Diário da Serra. “É preocupante, pois é pouquíssima chuva. Lembrando que essas informações são da estação lá da Unemat. As vezes está chovendo na região central e na unemat não, e vice versa. O que se pode apontar é o comportamento da chuva e sua distribuição. Essa é a  realidade que está acontecendo na estação. Trata-se de uma variabilidade climática, tem ano que chove mais e outro menos. uma causa natural do clima”, concluiu o especialista.


Semana será chuvosa em Tangará da Serra

Apesar do mês de janeiro ter registrado uma baixa histórica no volume de chuva, fevereiro começou com sinais de melhora em Tangará da Serra. Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), todos os dias desta semana terão pancadas de chuva em partes da cidade, mas a temperatura continua relativamente elevada.


Esta terça-feira, 04, será o dia mais quente da semana, com a máxima chegando aos 32º C. As pancadas de chuva devem vir a partir da tarde. De quarta-feira, 05, a sexta-feira, 07, o sol prevalece e há aumento de nuvens pela manhã. Há grande possibilidade de pancadas de chuva à tarde e à noite.


Durante o fim de semana, o tempo permanece parcialmente nublado e há chances de  chuvas a qualquer hora do dia. No domingo, 09, há aumento de nuvens de manhã e pancadas de chuva à tarde. À noite o tempo fica aberto.
 



Notícias da editoria