Diário da Serra

“Eu não sou do agro, sou de Mato Grosso”, diz Leitão ao defender seu nome ao Senado

Hiper Notícias 05/02/2020 Política
Política

O ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB) afirmou nesta terça-feira (4), que tem apoio de diversas lideranças para sua pré-candidatura na eleição suplementar ao Senado, marcada para o dia 26 de abril. Além de afirmar ser o mais preparado para o pleito, o tucano descartou o rótulo de ser um dos representantes do agronegócio em Brasília.

 

"Eu não sou produtor, sou urbano. A diferença é que quando fui para Brasília fui defender Mato Grosso. O estado estava com problemas sérios na área ambiental, fundiária, no transporte, inviabilidade em nossas hidrovias, e eu levantei todas essas bandeiras", disse o ex-parlamentar durante ida à Assembleia Legislativa. 

 

"Fui o primeiro deputado da história do Brasil a instalar uma Comissão para discutir área indígena. Eu instalei, demarquei, e hoje estamos discutindo a produção agrícola em área indígena. Eu não sou do agro, sou de Mato Grosso. Meus oito anos de mandatos praticamente representei todos os setores. O rótulo eu não acho ruim, mas ele não é real", completou. 

 

Nilson classificou que seu projeto de pré-candidatura ainda é uma 'caminhada', visto que outro nome dentro do partido pode aparecer até o dia 12 de março quando será convenção do partido.

 

O ex-deputado disse ainda que se reuniu com o ex-governador Pedro Taques, com os senadores Jayme Campos (DEM) e Wellington Fagundes (PL) e Pivetta e Júlio Campos.

 

"Conversei com praticamente todos os atores da política. A tradução de tudo isso é que tenho bom relacionamento com a grande maioria da classe política. Ainda é uma caminhada. Deixei meu nome à disposição, mas até 12 de março qualquer filiado pode se colocar à disposição", pontuou. 

 

Currículo amplo

Ainda durante visita à Casa de Leis, o tucano destacou sua participação na política. Nilson foi vereador e prefeito de Sinop (a 500 quilômetros de Cuiabá), além de deputado federal, por dois mandatos consecutivos. Em 2018, ele disputou a eleição para o Senado, não sendo eleito. "Estou preparado para ser um senador útil para Mato Grosso, conheço o Congresso, meu relacionamento é muito forte com todas as lideranças e não vou precisar de prazo para poder andar dentro do Senado".

Notícias da editoria