Diário da Serra

Professor exonerado rebate nota do Executivo: "vamos até as últimas consequências"

Paulo Desidério - Redação DS 06/02/2020 Política

Trio exonerado disse desconhecer denúncia apontada em nota como motivo da exoneração

Política

Após o Executivo Municipal publicar nota sobre a exoneração dos professores Abner Alcântara dos Santos, Aroldo Miguel Chaves e Maria José Batista, houve resposta. O professor Abner se pronunciou, questionando a veracidade do que foi dito na nota divulgada à imprensa tangaraense.  

 

Ao Diário da Serra, Abner contou que nenhum dos três possui conhecimento da denúncia citada na nota, tampouco com relação aos conflitos, que também são relatados sem maiores detalhes no documento.

 

"Nunca fomos chamados a respeito de nenhuma denúncia. Nenhum dos três fomos acionados por qualquer procedimento da administração. Não fizeram sindicância nem nada. Se é denúncia, tem que instaurar procedimento para defesa. Qual é essa denúncia? Quem foi a pessoa agredida? Pode procurar servidores. Onde há conflitos? Não existe. Se há divergência de ideias é um ponto, agora conflito qual?”, afirmou.

 

O professor relembrou o fato de que os três foram eleitos pela comunidade escolar e, segundo ele, isso inviabiliza a exoneração da forma como ocorreu. Abner reafirmou que ele e seus colegas irão “até as últimas consequências” para que a decisão seja revista na esfera judicial.

 

“Ele cita que somos comissionados mas também fomos eleitos pela comunidade escolar. Os indicados deles ele pode enxotar quando quiser, mas nós fomos eleitos. Vamos tomar as providências, pois isso é difamação. A administração pública deve agora nos intimar, vamos até últimas consequências judiciais, eles vão ter que esclarecer quais são as denúncias e porquê não instauraram procedimento administrativo", completou.

Notícias da editoria