Diário da Serra

Escola Técnica Estadual forma turmas com dois projetos premiados em evento nacional

Assessoria 19/02/2020 Educação

A formatura será nesta quinta às 19hs, no auditório da Acits

Escola Técnica Estadual de Tangará da Serra

A Escola Técnica Estadual de Tangará da Serra, vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECITECI), promove nesta quinta-feira, 20, a colação de grau de 25 alunos de quatro cursos técnicos iniciados em 2017 e concluídos no primeiro semestre do ano passado. A formatura será às 19hs, no auditório da Acits.


Técnico Agropecuário (matutino e noturno), Transações Imobiliárias, Segurança no Trabalho e, ainda, Manutenção e Suporte em Informática são os cursos concluídos que colocam no mercado 35 profissionais.


Entre estas turmas, duas foram vencedoras nas edições de 2017 e 2019 da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada simultaneamente com a Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, sempre na Arena Pantanal, em Cuiabá.


Os formandos de Manutenção e Suporte em Informática faturaram a primeira colocação na 14ª Semana Nacional, em 2017, com o projeto “Gestão do Lixo Eletrônico: Seu Lixo Eletrônico tem Endereço”. Em 2019, mais uma vez a Escola Técnica Estadual foi vencedora, desta vez com a turma de Agropecuária, que venceu o evento científico com o projeto “O Babaçu como Alternativa de Renda em Comunidades Rurais”.


Eletrônico - O projeto Gestão do Lixo Eletrônico prevê parceria entre a Escola Técnica Estadual e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). Pelo projeto, as escolas das redes públicas estadual e municipal recebem contêineres especiais para a população do bairro onde a escola está localizada fazer o descarte de equipamentos eletrônicos em desuso, como computadores, impressoras, monitores, celulares e outros.


O objetivo do projeto – que concorreu com outros 50 no evento científico de 2017 - é proporcionar destinação correta destes resíduos, que possuem grande potencial poluidor para solo e água através de elementos como arsênio, cádmio, chumbo e mercúrio. A atividade consiste na desmontagem dos equipamentos descartados e sua triagem pelos alunos do MSI, que testam os componentes (fontes, hd’s, placas, processadores, etc.), identificando os que ainda podem ser recondicionados. Os componentes restaurados são aproveitados como reposição ou para montagem de novos computadores que são doados a instituições públicas e entidades assistenciais. O material inservível, por sua vez, segue pelo Tangará Recicla à Cooperativa de Reciclagem de Tangará da Serra (Coopertan) para o devido encaminhamento.
 

Notícias da editoria