Diário da Serra

Saúde compra mais 10 mil testes para detectar Covid-19

Secom-MT 31/03/2020 Saúde

Investimento na compra do exame que detecta o coronavírus foi de aproximadamente R$ 192 mil

Saúde

O Estado de Mato Grosso adquiriu mais 10 mil testes para detecção da Covid-19 por meio de análise de RT-PCR. Com os novos testes, o Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) vai ampliar a realização do exame molecular que diagnotica ou descarta a infecção pelo novo coronavírus.

 

A determinação para as aquisições extras foi anunciada pelo governador Mauro Mendes e pelo secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo. A equipe técnica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) providenciou a compra, em caráter de urgência, conforme prevê o Decreto Governamental 407/2020.

 

O investimento na compra dos testes para a realização de exame que detecta a Covid-19 foi de aproximadamente R$ 192 mil. As remessas por parte do Ministério da Saúde continuarão sendo enviadas ao Estado de forma gradativa.

 

“Considerando que as unidades encaminhadas pelo Ministério da Saúde são insuficientes para as demandas do nosso Estado, a SES faz a aquisição de mais unidades. Essa é uma das ações da atual gestão, que está absolutamente empenhada na adequação e ampliação da rede assistencial de Saúde”, pontuou o secretário Gilberto Figueiredo.

 

De acordo com a diretora do Lacen-MT, Elaine Cristina de Oliveira, cada teste representa uma pessoa testada, portanto, serão mais 10 mil indivíduos a serem diagnosticados ou não com a doença, conforme os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. A SES monitora a produção do Laboratório, de forma a identificar preventivamente a necessidade de novas aquisições.

 

A direção do Lacen-MT ainda ressalta que os laboratórios particulares habilitados para realizar o exame de COVID-19 devem obrigatoriamente notificar Vigilância Epidemiológica do Estado sobre os casos de suspeita e de confirmação da doença.

 

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

 

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

 

- Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

- Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

- Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;

- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

- Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Notícias da editoria