Diário da Serra

Empresários reivindicam ao Executivo e MP a reabertura do comércio em Tangará da Serra

Fabíola Tormes / Redação DS 02/04/2020 Geral

Requerimentos foram protocolados na Prefeitura Municipal e Ministério Público na tarde desta quinta-feira

Alguns empresários, durante entrega do documento

O grupo 'Empresários Unidos de Tangará da Serra' protocolou na tarde desta quinta-feira, 2, junto a Prefeitura Municipal de Tangará da Serra um requerimento em busca da reabertura do comércio local, atendendo todas as normas da Organização Mundial de Saúde. 


Em documento, os empresários se dizem cientes da atual condição mundial e nacional desencadeada pelo novo Coronavírus (Covid-19), contudo, “o nosso país, mais especificamente a nossa cidade de Tangará da Serra-MT, não possui suporte econômico para enfrentar a situação de vedação do exercício de atividade empresarial e comercial da forma como decretada, situação que gerará uma calamidade financeira sem precedentes”, garantem eles, em documento.


Outro requerimento também foi protocolado junto ao Ministério Público Estadual, na 1ª Promotoria de Justiça Cível de Tangará da Serra, e encaminhado ao promotor de justiça Thiago Scarpellini Vieira, pedindo que intervenha em favor da sociedade e, se possível, que receba o grupo para uma reunião. 


“O empresariado, comerciantes e profissionais autônomos tangaraenses clamam para que sejam adotadas medidas preventivas e de combate a Covid-19, mais que estas condutas não sejam aleatórias, impactando a economia local. Estamos a disposição para cumprir todas as determinações da OMS, porém precisamos voltar as atividades”.


Assim, eles reivindicam a reabertura do comércio local, sugerindo ainda que novas medidas sejam adotadas para reduzir os impactos econômicos e sociais, a exemplo do isolamento vertical, ou seja, o isolamento social para idosos, pessoas com doenças pré-existentes ou com suspeita de infecção, e ainda atividades que gerem aglomerações fiquem suspensas. “Quanto maior o tempo de paralisação, mais difícil será a retomada, sendo que neste momento já assistimos demissões, inadimplência e um sério risco de falências”, completam.


Ainda em documento, eles se comprometem a adotar todas as medidas de higiene e segurança, a fim de evitar ou diminuir os riscos de contaminação, bem como dispensar funcionários do grupo de risco ou com sintomas. “Todas essas prevenções serão adotadas, mas precisamos voltar a trabalhar”.


“O fluxo financeiro da maioria das empresas de Tangará da Serra não resistirá mais 20 dias fechados, os impactos de tal medida serão devastadoras ao nosso Município e principalmente a nossa população. Por isso requeremos que seja alterado o Decreto Municipal, permitindo que o comércio local seja reaberto com todas as medidas de segurança e higiene, e até diferenciação de horários, se assim entender necessário”.


O documento, segue assinado por um grupo superior a 200 pessoas. 

Notícias da editoria