Diário da Serra

Após pressão, prefeito autoriza reabertura das feiras de Tangará em novo formato

Alexandre Rolim / Tangará em Foco 03/04/2020 Geral

As feiras, que agora passam a se chamar “mercados públicos”, serão fechadas e terão apenas uma entrada e uma saída para os frequentadores

Geral

Em comunicado feito no final da tarde desta sexta-feira, 03, o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira (MDB), resolveu ceder à pressão que vinha sofrendo ao longo das últimas semanas e liberou o funcionamento das feiras da cidade a partir da próxima segunda-feira, 06.
 

Entretanto, os ambientes onde os pequenos produtores da cidade comercializam uma variedade de mais de 130 produtos diferentes terão novo formato e até mesmo uma nova nomenclatura.
 

As feiras, que agora passam a se chamar “mercados públicos”, serão fechadas e terão apenas uma entrada e uma saída para os frequentadores. O fluxo de pessoas também será controlado.
 

Muitos pequenos produtores do Município vinham sofrendo com a situação, pois haviam perdido sua principal fonte de comercialização de seus produtos: as tradicionais feiras. Alguns deles até enfrentaram a proibição e a fiscalização da Prefeitura e foram para a calçada da Feira do Produtor afim de venderem seus produtos. Outros buscaram ferramentas digitais para o comércio e houve até quem desistiu e fechou o negócio provisoriamente.
 

As três feiras de Tangará da Serra, que agora serão chamadas de “mercados públicos”, terão dias específicos de funcionamento.
 

O mercado público central atenderá a população às segundas, quartas e sextas-feiras, o dia inteiro. O mercado público da Vila Esmeralda funcionará todos os sábados entre as 7h e às 12 horas. Já o mercado público da Vila Alta também funcionará apenas aos sábados, porém entre as 12h e as 18h.
 

Nas três feiras ou mercados públicos só será permitido a venda de produtos hortifrutigranjeiros (verduras, legumes, frutas, carnes, ovos, laticínios, etc) e alimentos prontos como pamonha, salgados, tapioca, dentre outros, porém, os clientes não poderão consumir no local.
 

Além disso, os feirantes terão que respeitar medidas que incluem higienização e segurança, e controle do fluxo de pessoas para evitar aglomerações no interior das feiras.
 

A medida, até então anunciada apenas de maneira informal pelo prefeito, através de uma live em seu Facebook, sem muitos detalhes, deverá ser regulamentada em um decreto.
 

O funcionamento das feiras ou mercados públicos já começará a partir da próxima segunda.

Notícias da editoria