Diário da Serra

Tríduo Pascal: Celebrações iniciam nesta quinta com Missa de Lava Pés

Fabíola Tormes / Redação DS 08/04/2020 Geral

Celebrações seguirão sem presença física de fiéis, assim como vem acontecendo

Geral

Devido à situação vivida em decorrência do coronavírus, os ritos da Semana Santa estão sendo realizados sem a presença física dos fiéis, assim como vem acontecendo em todos os países afetados pela doença, em que estão previstas restrições às reuniões e movimentos de pessoas.


Em Tangará da Serra, após a celebração do Domingo de Ramos, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida se prepara para celebração do Tríduo Pascal, que recorda as passagens de Jesus e marca a transição da morte e ressurreição do Senhor, iniciando nesta Quinta-feira Santa com a Missa de Instituição da Eucaristia e Lava Pés.


De acordo com o pároco, frei Luciano de Souza Santos, a celebração desta Quinta-feira Santa será às 18h, com transmissão ao vivo pela TV Vida, Canal 6.1, ocasião em que pede que os fieis preparem uma bacia com água para lavar os pés de sua família e um pão para ser abençoado e partilhado.


“Na Sexta-feira, às 15h, teremos a celebração da Paixão do Senhor e Beijo da Cruz”, continua, afirmando que a celebração também será transmitida ao vivo pela TV Vida e pelo Facebook. 


“Para celebração a gente convida para que cada família confeccione uma cruz, para que durante a celebração ela seja abençoada e durante o Beijo na Cruz, seja beijada por toda a família”. Cada família deve montar sua cruz, com o material disponível em casa e do tamanho que achar necessário para este momento.


Já para o Sábado de Aleluia, que para os católicos significa um dia de silêncio e recolhimento, pois representa o período em que Jesus se encontra morto, antes da ressurreição que acontecerá no Domingo, a igreja pede às famílias que mantenham as luzes de suas casas desligadas durante todo o dia. Além disso, pedem que acompanhem a celebração, que vai acontecer às 18h, e que, quando se acender o Círio Pascal (vela branca que representa a Luz de Cristo) na igreja, que se acenda também uma vela na casa das famílias. “Que durante a celebração sejam iluminados apenas por aquela vela e na hora da proclamação da Páscoa, que a família possa acender as luzes e deixar a casa bem iluminada”, pede. “E no Domingo de Páscoa celebraremos da Ressurreição, com missas às 8h e 18h”.


Saiba mais:


1º dia: Quinta-Feira de Lava-pés
Abrindo as portas do Tríduo Pascal, a Quinta-Feira de Lava-pés é responsável pela acolhida dessa solenidade que dura três dias. Essa data, é considerada a véspera da crucificação de Jesus Cristo e a responsável por relembrar as passagens do filho de Deus, antes dele ser entregue aos soldados.


Por esse motivo, seguindo o que é contado na bíblia, os católicos possuem o costume de recordar com mais ênfase o momento da Santa Ceia e reproduzir a ação que Jesus realizou, ao lavar os pés de seus discípulos. O gesto representa a humildade, o perdão e o amor que se deve ter com o próximo.


2º dia: Sexta da Paixão
A Sexta-feira Santa é a solenidade mais forte e importante da Igreja Católica Apostólica Romana. Feriado cristão, a data marca a morte de Jesus de Nazaré que foi crucificado e por isso é considerado um dia de dor e tristeza para os fiéis. A ocasião é marcada por jejum, abstinência e penitência em respeito ao sacrifício de Cristo.


A Sexta-Feira Santa é um dia de luto, por isso deve-se vive-lo da maneira correta, pois morreu o filho de Deus, o qual a igreja deposita todo o seu amor.


3º Dia: Sábado de Aleluia
O sábado ainda é um dia de silêncio e recolhimento. A igreja guarda esse dia, pois ele representa o período em que Jesus se encontra morto, antes da ressurreição que acontecerá no Domingo.


No último dia do Tríduo Pascal, ainda não se leva eucaristia para os enfermos e o sacrário ainda está vazio. Isso acontece pois esse ainda é um dia de luto, de espera e de muita oração. Mas o que muda entre a vivência da Sexta-feira Santa e o Sábado de Aleluia, é a grande ansiedade para a ressurreição do Senhor que está se aproximando.


Assim, há uma transição do espírito de luto, para o espírito de alegria que acontece na missa da vigília. A celebração eucarística começa sob a luz de velas, em que as leituras e salmos ainda são proclamados na escuridão. Então, após não cantar o “Glória” durante o período da quaresma inteiro, na missa do último dia do Tríduo Pascal, o hino de louvor volta a fazer parte da liturgia da missa.


Após o Glória, as luzes da igreja finalmente se acendem representando o momento que a Luz do mundo volta a brilhar. No final da missa, recebe-se finalmente a benção final e aguarda-se através da grande Vigília Pascal, o amanhecer do Domingo para celebrar em grande festa, a Páscoa do Senhor.

Notícias da editoria