Diário da Serra

ESTOU GRÁVIDO

Euller Sacramento 23/04/2020 Artigos

O filho não é apenas da mãe, ou pelo menos não deveria ser. Você também é RESPONSÁVEL

Artigo: 'ESTOU GRÁVIDO'

Pai, apesar de não carregar o bebê na barriga, você tem um papel muito importante no processo de gravidez, seja a mulher, sua esposa ou não. Dentro daquela barriga (útero), está acontecendo um milagre, o seu filho está sendo gerado ali, isso mesmo SEU FILHO(A). 


Durante nove meses tudo que acontecer com a mãe, seja de ordem física e/ou emocional afetará diretamente seu filho. Por isso, algumas de suas atitudes e comportamentos enquanto pai pode tornar esse processo (de mudanças corporais, hormônios e fantasias) mais leve.


A mulher pode ficar instável emocionalmente neste processo, por isso SEJA PACIENTE! Não diga, que é frescura a mulher chorar “por nada”. Não diga, que gravidez não é doença. Tenha consciência que isso poderá acontecer e ao invés de julgar, que tal perguntar se você pode fazer algo para que ela se sinta melhor?


Se ela reclama de dores nos pés, que tal uma massagem? Se não consegue se alimentar por conta do enjôo que tal fazer um suco? Se ela acha que não dará conta de cuidar de uma criança, que tal mostrar que estão juntos nessa? 


Enfim...seja “PAIceiro.”


Se lhe faltar paciência, lembre-se, ali está sendo gerado seu filh(a), não tem porque descontar sua impaciência na mãe dele. O filho não é apenas da mãe, ou pelo menos não deveria ser. Você também é RESPONSÁVEL por este milagre, VIVA esta etapa do desenvolvimento, não fique só observando de longe. Por mais assustador que possa parecer, tenha coragem de assumir essa nova responsabilidade.


Faça carinho na barriga, converse com ele, o bebê não entende, mas consegue sentir a vibração e o timbre de voz, reagindo a estimulação verbal. Você não será louco, apenas estará fortalecendo vínculo com seu filh(a). Esse processo de interação vai te ajudar a se sentir PAI pois, você estará participando ativamente da gravidez, além de deixar a mulher mais tranquila e segura.


Faça um esforço para acompanhá-la nas consultas pré-natal, isso além de deixar a mulher mais segura, pode te ajudar a esclarecer dúvidas ou até mesmo eliminar alguma insegurança caso tenha. Fale sobre seus medos e inseguranças para a mãe do seu filho(a) e vice-versa, talvez vocês compartilhem dos mesmos medos e juntos possam superá-los.


PAI se você estiver envolvido nesse processo desde o início, após o parto não será tão difícil aprender a cuidar e amar o seu bebê. Então faça valer a pena e cuide de quem cuida do seu filho.

 

Euller Sacramento é psicólogo infantil, atende na Imaginare Clínica Integrada e nesta crise realiza atendimento online de orientação a pais. Instagram: @eullersacramento



Notícias da editoria