Diário da Serra

Estado abre consulta para concessão de rodovias da região de Tangará da Serra

Alexandre Rolim / Tangará em Foco 30/04/2020 Geral

De acordo com o edital, são 233 quilômetros de rodovias na região que deverão ser concedidas à iniciativa privada

Geral

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) abriu consulta pública para apresentar os estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica, e minutas de edital e contrato que subsidiarão futura concessão das rodovias que cortam a região de Tangará da Serra, desde o entroncamento com a BR-163, em Jangada, até o entroncamento com a BR-364, no Distrito Itamarati Norte, em Campo Novo do Parecis.


De acordo com o edital, são 233 quilômetros de rodovias na região que deverão ser concedidas à iniciativa privada. O trecho inclui a MT-246, a MT-343, a MT-358 e a MT-480, rodovias que passam por Barra do Bugres, Nova Olímpia e Tangará da Serra e que foram recuperadas recentemente pelo Estado a um custo de aproximadamente R$ 134 milhões.


Por meio da consulta pública, a SINFRA também vai receber contribuições e “eventuais questionamentos” sobre a concessão.


A pasta ainda abriu consulta para concessão de outros dois trechos de rodovias estaduais: 140 quilômetros da MT-130, entre Primavera do Leste e Paranatinga; e 138 quilômetros da MT-220, entre Tabaporã e Sinop.


A Sinfra informou que vai disponibilizar os estudos a partir do dia 4 de maio. Os documentos ficarão disponíveis até junho deste ano.


Outras concessões


Somente este ano, duas rodovias estaduais já foram entregues à iniciativa privada, o que resultou em investimentos na ordem de mais de R$ 160 milhões. A MT-320/MT-208, na região de Alta Floresta, e a MT-100, em Alto Taquari (Sul do Estado), são frutos do leilão realizado na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), que ocorreu em fevereiro de 2018. Juntas, as duas estradas somam aproximadamente 300 km de trechos sob concessão, beneficiando 130 mil moradores de cinco municípios de duas diferentes regiões mato-grossenses.


Imagem: Trecho foi recuperado recentemente pelo Estado a um custo de aproximadamente R$ 134 milhões (Imagem: Marcos Vergueiro/Secom-MT)

Notícias da editoria