Diário da Serra

Obras em represa do Queima Pé geram denúncia no MP

Redação DS 05/05/2020 Geral

Questionamentos estão relacionados a transparência do serviço

Represa foi esvaziada para limpeza

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Tangará da Serra iniciou processo de limpeza no reservatório da Estação de Tratamento de Água e Esgoto (ETA) do Rio Queima Pé, denominada represa ‘Sitna’.


O espaço, de acordo com o diretor do Samae, Wesley Lopes Torres, foi esvaziada para realização de trabalhos de limpeza e retirada de vegetação submersa, com objetivo de melhorar as condições e ampliar o armazenamento de água bruta para tratamento e abastecimento da cidade.


Esta ação, porém, gerou nova denúncia no Ministério Público do Estado de Mato Grosso, contra o Prefeito Municipal Fábio Martins Junqueira e ao próprio diretor do Samae, questionando a transparência do serviço. “O que não está claro é quem é o engenheiro responsável pela obra? Existe projeto para expansão da capacidade da represa e as garantias de segurança em caso de estouro ou transbordamento do volume de água represado em relação as propriedades que ficam abaixo do local. Foi realizado Estudo de Impacto Ambiental? Foi realizado Relatório de Impacto Ambiental? Existe licença para execução da obra? De onde vem os recursos para execução da obra?”, questiona o denunciante, Jean Piccoli, que fez imagens com drone das obras no local.


Além destes questionamentos, Piccoli denuncia o suposto uso particular da terra da represa retirada por caminhões e sendo levada a um terreno na Avenida Nilo Torres. “Cabe ponderar que cada carga de terra tem um valor aproximado de R$200,00 sendo este denunciante informado (…) que estaria comercializando estas cargas de terra retiradas da represa do Samae e que teria utilizado mais de um mil cargas (…) podemos destacar que os danos ao erário em tese ultrapassam o valor de R$ 200.000,00”.


A denúncia foi protocolada junto a 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Tangará da Serra.
 



Notícias da editoria