Diário da Serra

MT se junta à mobilização nacional para adiar Enem com apoio de parlamentares

Jacques Gosch / RD News 18/05/2020 Educação

A prova do enem está marcada para os dias 1 e 8 de novembro

Educação

Lideranças de Mato Grosso também fazem parte da mobilização nacional pelo adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Enquanto o movimento estudantil mobiliza os estudantes nas redes sociais para reivindicar o adiamento das datas das provas, parlamentares também trabalham com o mesmo propósito.


Na última sexta, 15, a União Estadual dos Estudantes de Mato Grosso (UEE-MT) se juntou à movimentação Tsunami da Educação promovida pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Pela manhã, os estudantes fizeram “tsunami de comentários” nas redes do MEC com a tag #AdiaEnem. À tarde, foram promovidas lives e debates no canal do Youtube da Ubes. A programação encerrou às 17h com o tuitaço #AdiaEnem.


A presidente da UEE-MT, acadêmica de zootecnia na UFMT Luana Caroline, lamenta que enquanto o MEC mantém o calendário do Enem no meio da pandemia do coronavírus, os estudantes se unem nas redes para adiar as datas da prova. Também pontua que não faltam motivos para reivindicar a prorrogação. “Os motivos são muitos, mas a desigualdade na preparação do exame, diante de aulas suspensas pela quarentena, colocam muitos sonhos por um fio”, disse a dirigente estudantil, considerando que muitos estudantes de baixa renda não têm acesso a internet ou estrutura mínima para prosseguir com os estudos.
 

Os deputados federais Rosa Neide (PT) e Emanuelzinho (PTB) também se posicionam claramente favoráveis ao adiamento do Enem. “Sou contrária à decisão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de manter as datas do Enem desconsiderando a pandemia do novo coronavírus. Sou coautora do Projeto de Decreto Legislativo nº 169/2020, que suspende os editais do Enem Impresso e Enem Digital 2020. Adiar o Enem é prioridade para não aprofundar a desigualdade social e educacional no Brasil”, pontuou Rosa Neide, que é professora e atua em defesa da Educação na Câmara dos Deputados.


“Neste momento, dadas as circunstâncias, sou favorável ao adiamento do Enem para 2021. Consultei técnicos e me garantiram que é factível a realização de dois exames no mesmo ano, sendo um em cada semestre. O que não pode é prejudicar os estudantes da rede pública, que estão sem acesso às aulas e vão concorrer em condições desiguais. A universidade no Brasil é um meio de ascensão social. Estou estudando medidas jurídicas e legislativas pelo adiamento”, completou Emanuelzinho, um dos representantes da juventude no Congresso Nacional.
 

Reunião com Weintraub
 

No início do mês, o senador Wellington Fagundes, líder do PL e do Bloco Vanguarda (DEM, PL, PSC), participou da videoconferência com o ministro da Educação Abraham Weintraub com os líderes partidários do Senado para debater o Enem deste ano por mais 6 meses, cogitado em virtude da disseminação da Covid-19.
 

Wellington também se mostrou favorável à marcação de nova data para o Enem. Ele disse que a posição é a da maioria dos líderes partidários, “considerando o fato de que 30% a 40% de alunos no interior do país sequer têm acesso à internet”. 
 

A deputado estadual Janaina Riva (MDB), que é nora de Wellington, participou da videoconferência com  Weintraub. Segundo o senador, ela tem o auxiliado nos assuntos educacionais.
 

Entretanto,  Weintraub se manteve contrário ao adiamento Enem. E alegou que a crise de saúde não seguirá até a época da realização das provas, prevista para novembro. Outra reunião será realizada em agosto para avaliação do cenário.  
 

Adiamento por 30 dias
 

Já o  deputado estadual Thiago Silva (MDB) defende que a prova do Enem 2020 seja adiada em pelo menos 30 dias por conta do coronavírus. O parlamentar alega que com a paralisação nas escolas e cursinhos, muita gente ficou prejudicada e não tem por um tempo as aulas virtuais então a prova  poderia ser 1 mês depois para que os estudantes possam ter um tempo maior de preparação.
 

“Acredito que adiar em 30 dias o Enem será uma forma justa de prestigiar todos os estudantes que precisaram se reorganizar durante a pandemia e iremos fazer esse pleito junto à nossa bancada federal em Brasília”, concluiu.
 

Enem
 

A prova do enem está marcada para os dias 1 e 8 de novembro. A primeira versão digital do exame será em 22 e 29 de novembro, novidade este ano. A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga entre 11 e 28 de maio, em agências bancárias, casas lotéricas e correios.

Notícias da editoria