Diário da Serra

Com caixão, empresários realizam ato e pedem volta de shoppings e restaurantes

RD News 19/05/2020 Geral

A manifestação denominada “’Carreata a favor da vida dos trabalhadores” terminou em frente a Prefeitura de Cuiabá

Geral

Um grupo de  empresários e funcionários de diversos  setores como academias, bares, restaurantes e lojas de shoppings centers protestaram na tarde desta segunda, 18. Os manifestantes pediam a  flexibilização das medidas contra a disseminação do novo Coronavírus (Covid-19) e a abertura imediata dos seus empreendimentos.


Os participantes realizaram carreata e buzinaço na área central de Cuiabá. Depois, carregaram um caixão e acenderam velas na porta da sede da Prefeitura. No total, cerca de 200 veículos circularam pela cidade.
 

Segundo os manifestantes, o caixão representava a “morte dos CNPJs” causada pelo fechamento do comércio imposto pela Prefeitura. O símbolo foi utilizado dia que Mato Grosso chegou a 30 mortes por Covid-19, sendo três somente na Capital.
 

A manifestação denominada “’Carreata a favor da vida dos trabalhadores”  iniciou  na Praça 8 de Abril, em frente ao Choppão,  por volta das 15h.  O fim  foi na Praça Alencastro, em frente à Prefeitura,  na tentativa  de sensibilizar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).


Hoje, os setores que participaram do protesto completam 62 dias fechados.  A suspensão das atividades foi decretada em 23 de março.


Soluções e emprego


Conforme os empresários, a categoria quer soluções para gerar empregos, dignidade aos trabalhadores e empregadores das empresas que foram impedidas de atuar como bares, restaurante, lojas de shoppings e demais setores atingidos pelos decretos.


Além disso, o setor solicita ao governo federal uma extensão da ajuda ao pagamento dos salários, acesso facilitado a crédito, redução de impostos e o direito de fazer a “reabertura consciente” das empresas.
 

De acordo com a presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrase), em Cuiabá, Lorena Bezerra a principal reivindicação do segmento é para que eles voltem a trabalhar. “Nosso setor está há 60 dias fechado e beirando ao caos,  a ponto de 40% do segmento não conseguir voltar. O restaurante Confrade mesmo foi um dos que fecharam, está há mais de 20 anos no mercado”, lamenta Lorena.
 

Em relação aos pedidos para a reabertura dos comércios, a Prefeitura de Cuiabá informa que:
 

  • O Município compreende a reivindicação das categorias e tem trabalhado para que garantir que a retomada de cada uma das atividades aconteça da forma mais segura possível para os empresários, colaboradores e clientes.
  • Desde o dia 27 de abril, tem colocado em prática um plano estratégico, com o aval técnico e as devidas medidas de biossegurança adotadas.
  • Para os setores que ainda não retornaram, o Município continua avaliando o comportamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na Capital, para que a medida seja aplicada no momento certo.
  • Durante esse período, a Prefeitura segue mantendo o diálogo aberto com todos os setores e busca de uma solução em conjunto. 
  • Destaca que, por ter adotado medias rígidas desde o inicio, Cuiabá tem conquistados resultados positivos, se comparado com o cenário nacional.
  • No entanto, tais resultados não significam que a cidade voltou a viver uma situação de normalidade.
  • As previsões de especialistas da área destacam que, até o fim de junho, o número de infectados aumente e, diante dessa conjuntura, o Município trabalha para proteger e evitar que a capital mato-grossense entre neste cenário.

Notícias da editoria