Diário da Serra

Bom dia tia!

Maria Barroso 01/06/2020 Artigos

Que Deus permita que logo voltemos todos a estudar juntos

Artigos

Sou Professora de Educação Infantil da rede municipal de ensino. Como todos sabem, em virtude da pandemia, estamos de quarentena desde o mês de março. A rotina agitada do dia-a-dia com as crianças deu lugar ao silêncio de uma casa com dois adultos. Em meio a tantas incertezas que estamos vivendo nesse momento, posso dizer que meu dia tem um toque de doçura. O “Bom dia tia!” que recebo diariamente das minhas crianças têm sido um bálsamo para todas essas angústias. As demonstrações de carinho através dos desenhos, dos áudios de saudade, das cartinhas, dos pedidos para voltar à escola que deixam nosso coração dolorido por não termos o poder de fazer tudo voltar a ser como era antes. Quem não sucumbe a um “Tia, desenhei você e eu.?” Essa semana ouvi de um aluno: “Tia, não chora! Eu também já chorei muito, mas eu já pedi para o papai do céu levar o corona embora pra gente poder voltar.” Parece surreal ver o quanto as crianças estão cientes do que está acontecendo a volta delas, mesmo tão pequenos ainda.  Esse contato por rede social, mesmo que pareça frio e distante, nos dá a sensação de distribuirmos e recebermos sementinhas de esperança de que tudo isso vai passar e que guardaremos conosco muitas lições de vida. Através das atividades on-line, temos visto um grande envolvimento da família com as crianças, principalmente nas atividades lúdicas,  onde muitos pais estão tirando um tempinho dentro da correria do trabalho e voltando a ser criança com seus filhos. Infelizmente essa presença familiar nas brincadeiras está cada vez mais rara, dando lugar ao brinquedo eletrônico. É perceptível a alegria de uma criança quando seus pais participam das atividades propostas, sejam elas lúdicas ou tradicionais. Destaco aqui a grande dedicação que tenho visto nas famílias das minhas crianças. Participar da vida escolar dos filhos desde a infância é fundamental para o desenvolvimento deles em todos os aspectos, tornando-os adultos seguros de suas capacidades e potencialidades. É maravilhoso ver a euforia das crianças durante o desenvolvimento das atividades. Sabemos que melhor seria se tivéssemos tendo aula presencial como sempre, mas, nesse momento, as atividades on-line são um recurso para não distanciar tanto as crianças da rotina da escola. Como tivemos pouco tempo de aula, muitas ainda se encontravam em processo de adaptação, e, se ficassem  totalmente alheias à escola, quando voltarmos seria um recomeço muito mais doloroso. A pureza, a sinceridade e a inocência das crianças são capazes de amenizar a sensação de medo que o momento nos causa. Esse amor que nos transmitem é o combustível diário para permanecermos firmes e acreditarmos que logo tudo se tornará uma lembrança. Logo retornaremos aos abraços, as corridinhas de mãos dadas na quadra da escola, as aos baldinhos de areia do parquinho, às brincadeiras de faz de conta, ao mundo mágico da fantasia que povoa a mente das nossas crianças que acreditam que tudo é possível, basta acreditar. Nesse momento, gostaria de ser a fada dos contos que eles amam, e, com um passe de mágica, trazer de volta o que eles mais querem: a escola! “Tia, que dia eu vou estudar com você?” Que Deus permita que logo voltemos todos a estudar juntos.  

Que Deus permita que logo voltemos todos a estudar juntos.

Maria Barroso – Professora de Educação Infantil no CME. Tânia Arantes Junqueira

Notícias da editoria