Diário da Serra

Tangará da Serra passa a contar com atendimento online da Defensoria Pública

Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT 01/06/2020 Geral

Ao todo são nove municípios de Mato Grosso em que os cidadãos terão atendimento online da Defensoria Pública

Geral

A partir desta terça-feira, 2, o sistema de atendimento online da Defensoria Pública de Mato Grosso será ampliado aos cidadãos de Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Tangará da Serra. Em breve, a ferramenta estará disponível a todos os Núcleos do estado.


O serviço é oferecido por meio de um link que conecta o usuário a um atendente treinado para repassar informações, como andamento processual, documentos necessários para iniciar ações, orientações, entre outras. O cidadão pode fazer solicitações de informação no sistema 24 horas por dia, 7 dias por semana, mas o atendente somente entrará em contato de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.


“Seguindo o nosso projeto de expansão dos serviços da Defensoria Pública, estamos dando mais um grande passo com a inclusão do atendimento online para a população de mais essas comarcas. Gradativamente, estamos levando mais facilidades e opções de acesso aos seus direitos para a população mais vulnerável do estado” afirmou Clodoaldo Queiroz, defensor público-geral.


Queiroz destacou ainda a ampliação do atendimento da DPMT. “Assim, além de estarmos expandindo geograficamente o alcance da Instituição, como Juína, Comodoro, Peixoto de Azevedo e Campinápolis, que passamos a atender este ano, também estamos diversificando as formas desse acesso, de modo que a população já pode ser atendida de maneira completa sem nem precisar sair da sua casa em vários municípios. É mais fácil para o cidadão, e muito mais barato para o Estado”, completou.


Todo cidadão com renda mensal individual de até três salários mínimos ou rendimento familiar de até cinco salários mínimos pode receber assistência jurídica gratuita da Defensoria Pública.


Interior – “Esperamos expandir o atendimento nesse período de quarentena porque algumas pessoas ainda acham que a Defensoria está fechada. Portanto, será uma ferramenta importante para levar ao conhecimento da população que estamos trabalhando nesse período de pandemia, mesmo com a suspensão do atendimento presencial”, afirmou o defensor público Maicom Vendruscolo, coordenador do Núcleo Cível de Rondonópolis.


Região Metropolitana – Inicialmente disponível apenas para Cuiabá e Várzea Grande, o canal foi inaugurado no dia 28 de abril e, desde então, já foram realizados 1.096 atendimentos – 697 na capital e 399 no município vizinho –, uma média de 46 assistências jurídicas gratuitas por dia (considerando os dias úteis).


Como usar – O sistema foi desenvolvido para ser de fácil manuseio, seguro e oferecer aos moradores das cidades mais populosas do estado mais uma opção de acesso à Defensoria Pública, enquanto durar a suspensão do atendimento presencial. Mesmo após a retomada dos serviços nos Núcleos, a ferramenta online continuará disponível aos mato-grossenses de baixa renda.


A ferramenta pode ser utilizada por qualquer pessoa com acesso à internet por meio de um navegador (o mais indicado é o Google Chrome). Um aplicativo para celulares e tablets será desenvolvido futuramente.
 

Após entrar no portal da Defensoria Pública (http://www.defensoriapublica.mt.gov.br/), basta clicar no link “Atendimento Online”. Então, o cidadão deve selecionar a cidade onde mora: Cuiabá, Várzea Grande, Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Tangará da Serra.
 

Depois disso, o sistema perguntará se o usuário já tem um processo em andamento. Se já tiver, o sistema mostrará uma tela onde ele deverá identificar onde o processo corre, a partir dos temas com os quais a Defensoria trabalha: família, consumidor, fundiário, violência doméstica, infância e juventude e outros.
 

Mas, caso o cidadão não saiba qual a área em que seu processo tramita, terá a opção de clicar em “outros” e, lá, um atendente o ajudará a fazer essa identificação e continuar o atendimento.
 

Após essa identificação, o sistema abrirá uma tela com solicitação de dados do atendido. Será necessário preencher seis campos com informações como nome, celular, CPF e um resumo do problema.
 

Caso ainda não tenha um processo em andamento, após escolher a cidade onde reside e responder que ainda não tem processo, o usuário será direcionado a uma tela para escolher a área em que necessita de informação e, depois, para o cadastro dos seus dados pessoais. O atendimento iniciará logo que responder à mensagem de texto (SMS).
 

O recurso foi desenvolvido pela Secretaria Executiva, sob a coordenação da defensora pública Maria Luziane Ribeiro de Castro, que verificou a necessidade urgente de disponibilizar o sistema, principalmente durante as restrições de circulação impostas pela pandemia de Covid-19.

Notícias da editoria