Diário da Serra

Estado e Município se reúnem nesta sexta-feira; contratualização emergencial de equipes para UTIs de Tangará será pauta do encontro

Fabíola Tormes / Redação DS 12/06/2020 Política

A reunião para tentar colocar em funcionamento os leitos de UTIs para pacientes com quadro grave da doença em Tangará da Serra se confirmou após declarações do secretário de Saúde do Estado e do próprio prefeito

Política

O prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira, e o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo iniciaram nesta semana uma conversa para celebração de parceria entre Estado e Município para o funcionamento das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e os leitos clínicos para Covid-19, no Hospital Municipal Arlete Daisy Cichetti de Brito.


A informação da possível parceria foi divulgada pelo próprio chefe do Executivo Municipal em seu perfil pessoal nas redes sociais. “Hoje [quinta] pela manhã o secretário encaminhou postagem falando sobre a edição de decreto do Governo do Estado para a contratualização, com apoio do Governo do Estado”, publicou o gestor, ao se referir ao decreto editado pelo governador Mauro Mendes na última quarta-feira, 10, para criação de programa emergencial para abertura e habilitação de novos leitos de UTI’s em todo o estado em parceria com as prefeituras.


Na mesma postagem Junqueira confirmou também a vinda de equipe do gabinete do Secretário de Saúde do Estado para reunião de trabalho nesta sexta-feira, 12, na Prefeitura Municipal, para as orientações sobre a contratualização emergencial de equipes médicas e hospitalar. “Foi efetuado pedido de apresentação de propostas de preços com  três Pessoas jurídicas, para a formação de custos para a contratualização e aferido a de maior vantajosidade e menor custo e esta em preparação os procedimentos de contratualização”, completou.


Acusações


A reunião para tentar colocar em funcionamento os leitos de UTIs para pacientes com quadro grave da doença em Tangará da Serra se confirmou após declarações do secretário de Saúde do Estado e do próprio prefeito. 


Em coletiva virtual, na terça, o secretário disse que faltava empenho de gestores municipais na preparação das suas unidades de saúde para contribuir com os esforços que o Governo, entre eles Tangará da Serra. “Os grandes municípios de Mato Grosso não criaram leitos de UTI e aí não tem solução máxima neste campo”, disparou, ao criticar o fato de Tangará da Serra ter leitos de UTIs para Covid habilitados junto ao Ministério da Saúde, o quais estão parados, sem condições de receber pacientes contaminados pelo vírus. “Têm leitos habilitados em Tangará da Serra e até o prezado momento não foram disponibilizados”.


A resposta ao secretário veio nas redes sociais, espaço em que o prefeito Fábio Junqueira afirmou que a obrigação de alta complexidade é do Estado. “O Município é parceiro, mas isso não tira a responsabilidade do Estado de Mato Grosso pela alta complexidade”, rebateu, ao afirmar que pediu ajuda ao Estado e não recebeu.


Na mesma postagem informou que no Hospital Municipal há 13 leitos de UTI instalados e 89 leitos clínicos só para Covid, sendo que no total são 21 respiradores, além de quatro respiradores não invasivos. “Os leitos de UTI estão aptos a serem usados, infelizmente não temos equipe suficiente ainda. Contratamos emergencialmente alguns médicos, enfermeiras e técnicos de enfermagem, designamos outros profissionais de nosso quadro, mas não são suficientes ainda”.


Ação MP


Vale lembrar também que em relação as UTIs, o Ministério Público de Mato Grosso (MP/MT), através da Promotoria de Tangará da Serra, entrou com ação civil na Justiça, com pedido de liminar, para que o prefeito Fábio Junqueira (MDB) coloque em funcionamento os leitos que anunciou ao longo das últimas semanas.


O MP pede para que a Justiça dê 48 horas para que Junqueira coloque “em plena atividade os leitos de UTI’s médicas no hospital municipal para o setor do Covid-19 no âmbito público municipal”, diz trecho da ação assinada pelo promotor Thiago Scarpellini Vieira.

Notícias da editoria