Diário da Serra

Executivo prorroga 'lei seca' até 15 de julho em Tangará da Serra

Fabíola Tormes / Redação DS 27/06/2020 Geral

O toque de recolher fica mantido das 21 horas às 6 horas da manhã, estendido a partir de agora para os domingos

Geral

O Executivo Municipal de Tangará da Serra, amparado pelo Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus, decidiu prorrogar algumas medidas recentemente implementadas no Município.


“Diante da avaliação e discussões em que se assegurou ampla participação dos membros do Comitê, aprovou-se a prorrogação das medidas adotadas por mais 15 dias, portanto todas as medidas vigorarão até o dia 15/07”, informou o prefeito Fábio Martins Junqueira, em publicação, ao afirmar que o Comitê foi acionado virtualmente para avaliar o quadro epidemiológico local comparado ao quadro estadual, e assim se manifestar sobre as considerações.


“Como tomamos medidas dia 15/06, muito recente ainda, de desflexibilização, suspendendo o atendimento presencial em academias, os cultos e missas presenciais, os eventos com aglomerações, os parques públicos, campos de futebol, quadras de esportes, suspendendo a venda de bebida alcoólica e reforçamos com apoio da Polícia Militar o Toque de recolher noturno, por hora vigente até dia 30/06/2020, mas que em virtude do decreto Estadual deve sofrer uma prorrogação”, considerou.


Dentro dessas medidas, o toque de recolher fica mantido das 21 horas às 6 horas da manhã, estendido a partir de agora para os domingos; continua vedada a comercialização de bebida alcoólica até dia 15 de julho, sendo que as distribuidoras de bebidas poderão comercializar seus produtos, exceto as bebidas alcoólicas, e terão seu horário de funcionamento apenas até às 18 horas, ficando suspenso alvará de horário especial para referidos estabelecimentos de distribuição de bebidas, inclusive aos domingos. 


As medidas complementares vigoram a partir deste sábado, 27. “Explicitamos que essas medidas permitem o controle da disseminação do coronavírus, mantendo-se a atividade produtiva tão necessária à  geração de renda  e evitando-se o lockdown geral”.

Notícias da editoria