Diário da Serra

AGOSTO LILÁS – Flagrantes de violência doméstica em Tangará da Serra crescem na pandemia

Fabíola Tormes / Redação DS 05/08/2020 Polícia

Campanha para denúncia de agressões está sendo massificada

Delegacia da Mulher de Tangará da Serra

Nesta sexta-feira, dia 7 de agosto, completa 14 anos que foi assinada a Lei Maria da Penha (Lei Federal nº 11.340/ 2006). A data é lembrada durante todo o mês através da campanha Agosto Lilás, elaborada justamente para amparar as mulheres vítimas de violência, seja ela física, sexual, psicológica, moral ou patrimonial.


Neste ano, no entanto, a campanha para denúncia de agressões está sendo massificada em todos os Estados, principalmente diante do aumento significativo de casos de violência doméstica diante da atual situação em que o Brasil vive, que requer isolamento como prevenção, devido ao novo Coronavírus. Tendo em vista todo esse contexto social, diversos órgãos públicos estão atentos a essa delicada situação e vem lançando novos serviços de atendimento visando ampliar a comunicação da mulher em situação de violência.


Em Tangará da Serra, segundo a Delegada titular da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Liliane Soares Diogo, as autoridades também estão atentas, pois os flagrantes de violência doméstica cresceram na pandemia. Contudo, o registro espontâneo diminuiu. “O que temos hoje é um número menor de mulheres vindo espontaneamente a delegacia, provavelmente em virtude dessa pandemia, mas um número maior de mulheres que solicitam apoio emergencial, aquele apoio em situação de flagrante (…) principalmente nos finais de semana”, afirma a delegada.


“Cada vez mais a gente tem mulheres que ainda são agredidas, ameaçadas e humilhadas dentro de casa e isso vai na contramão de uma sociedade moderna”, lamenta a delegada, ao afirmar que essa percepção se dá diante do número de atendimentos na Delegacia de Polícia. “No geral, no ano passado para este, os números são constantes, não teve nenhum acréscimo considerável, nem uma diminuição, mas temos que considerar que nesta situação de pandemia muitas mulheres não saem na rua e com isso não vem a delegacia da Mulher denunciar. Então, neste sentido, o número diminuiu, ao contrário dos flagrantes que nós tivemos um aumento de ocorrências, um aumento de situações de flagrantes em que a Policia Militar ou a Polícia Civil é acionado e esse suspeito é preso em flagrante e conduzido a delegacia”.


A denúncia de violência contra a mulher pode ser feita em delegacias e órgãos especializados, onde a vítima procura amparo e proteção. As denuncias podem ser feitas também pelos telefones 190, 197, 180 e 181. Vale lembrar que todas as denúncias são sigilosas.


Mesmo se a vítima não registrar ocorrência, vizinhos, amigos, parentes ou desconhecidos podem ir a uma delegacia para denunciar uma agressão que tenham presenciado.
 



Notícias da editoria