Diário da Serra

Motoristas de transporte por aplicativo de Tangará realizam manifesto contra projeto de lei

Fabíola Tormes / Redação DS 11/08/2020 Geral

Projeto está em tramitação e voltará a ser discutido na próxima semana

Geral

Diversos motoristas de transporte por aplicativo de Tangará da Serra se reuniram na manhã desta terça-feira, 11, na praça da antiga prefeitura, para protestar contra o Projeto de Lei nº 17/2020 em tramitação na Câmara Municipal de Tangará da Serra.


De autoria dos vereadores Paquito do Táxi e Rogério Silva, o projeto, que começou a ser discutido na última semana, busca a regulamentação do serviço de transporte por aplicativo. Alguns pontos do projeto, porém, estão sendo criticados pelos motoristas, como a prestação de serviço só poderá ser feita por meio do aplicativo, ou seja, o cidadão não poderá solicitar o transporte por WhatsApp, SMS ou ligação.
 

“Estão querendo proibir a gente em várias coisas, como não pegar corrida por chamada pelo celular e nem whatsApp. (…) Estão querendo colocar muitas regras, proibindo a população de usar [o transporte] pelo whatsApp e telefone [ligação]. E as pessoas idosas que não sabem mexer com esses celulares mais tecnológicos, com aplicativos? Por isso estamos reunidos para defender a classe”, declarou o motorista Carlos, em entrevista ao Programa Primeira Hora, da Rádio Serra FM. 
 

“E porque esses dois vereadores não lutam para trocar a frota de ônibus que tem aqui há muitos  anos? Colocar um transporte público de qualidade, com ar condicionado. Além disso, eles não estão vendo o lucro que a gente dá na cidade. Um exemplo é o abastecimento, fora mecânico e outras coisas mais”, continua, ao afirmar que o que querem é ser ouvidos, pois em nenhum momento foram chamados para uma reunião e/ou compor com o projeto. 
 

“Esse projeto de lei não teve consulta com a gente. Foi montado não sei por quem e assinado pelos vereadores Paquito e Rogério Silva, só que não fomos consultados. Como que os aplicativos da cidade, que são de Tangará da Serra, tanto os proprietários quanto os motoristas, não foram consultados sobre este projeto? Então tem algo estranho no ar”, questionou outro profissional em entrevista ao Tangará Verdade,da Rádio Tangará, ao pedir que os vereadores analisem o projeto e os chamem para uma reunião. 
 

Se aprovado da forma como está, segundo eles, o projeto inviabilizará a continuidade dos trabalhos desses motoristas de transporte alternativo. O projeto está em tramitação e voltará a ser discutido na sessão ordinária da próxima semana. 
 

Com informações Gilvan Mello e Kleber Leite; Imagens: Alessandro Oliveira (Record TV)



Notícias da editoria