Diário da Serra

Atacada no Facebook, Márcia Kappes deixa programa aos prantos

Alexandre Rolim / Tangará em Foco 12/08/2020 Geral

Ela pediu respeito ao cidadão que, segundo ela, é filho de pioneiros de Tangará da Serra, mas está envergonhando a família tradicional dele na cidade

Geral

Visivelmente abalada e aos prantos, a apresentadora Márcia Kappes deixou o ar no meio do programa que apresenta em Tangará da Serra, o Tangará 40 Graus (TV Cidade Verde), nesta quarta-feira, 12. Ela foi atacada, xingada, chamada de lunática e politiqueira pelo autônomo Amauri Blanco Gonsales, defensor e puxa saco do prefeito, Fábio Junqueira (MDB), e do presidente da Câmara, Ronaldo Quintão (PSL).


Não é a primeira vez que isso ocorre. Tanto Amauri quanto outros paladinos, assim como o próprio chefe do executivo, já atacaram, xingaram, tentaram calar e amordaçar Kappes, uma das principais vozes da população de Tangará da Serra na internet e na televisão. “Não é a primeira vez que esse cara me ataca. Eu tinha respeito, tinha apreço por ele”, disse Márcia ao ler uma postagem no Facebook onde Amauri chama Márcia e lunática e politiqueira barata. “Politiqueiro barato é você, que não trabalha, que passa o dia na internet denegrindo as pessoas, eu tenho três empregos, 45 anos, quatro filhos e uma propriedade onde eu trabalho aos finais de semana”, completou.


Ela pediu respeito ao cidadão que, segundo ela, é filho de pioneiros de Tangará da Serra, mas está envergonhando a família tradicional dele na cidade. “Onde eu sou politiqueira, eu não sou candidata a nada, nem sou puxa saco de políticos”, disse, ao reiterar que é amiga da maioria dos pré-candidatos a prefeito da cidade, citando Vander Masson (PSDB), Jean Picolli (PSC), Renato Gouveia (PV) e Chico Clemente (PSD).


“Para com essa baixaria, Tangará não vai pra frente por causa dessa baixaria, antes era jogando panfleto na cidade, agora é na internet”, falou. “Você que é politiqueiro barato, seu infeliz, eu tenho família”, disse, ao chamar Amauri de covarde.


“Eu não sou politiqueira, a minha história fala por mim. (…) Eu pari meus filhos ‘dentro dessa televisão’, mereço respeito, sou uma mulher de respeito. Eu não vou permitir isso”, falou.
 

Logo após o desabafo, Márcia Kappes começa a chorar, pede desculpas aos seus telespectadores e internautas, que são muitos, uma vez que seu programa é líder de audiência na cidade, e pede para que o jornalista Renan Coelho assuma o comando do programa.
 

Tudo começou depois que Márcia defendeu os músicos e demais artistas e profissionais da cultura da cidade, que estão há quase seis meses impedidos de trabalhar, de se apresentar em bares (obedecendo a todas as medidas de restrição), em função de medidas que supostamente tem como foco frear a disseminação do coronavírus (covid-19). Ela defendeu música ao vivo em bares e restaurantes da cidade e não shows com aglomeração.
 

Ocorre que Amauri, em sua postagem, comete vários equívocos, sendo que em um deles afirma que Márcia Kappes defendeu a realização de shows, o que não ocorreu.
 

A reportagem conversou com Márcia Kappes logo após a situação. Abalada ela disse que irá continuar sua conduta, de forma imparcial, levando informações para a população e defendendo aquilo que é o correto e que irá beneficiar a cidade de Tangará da Serra.

Notícias da editoria