Diário da Serra

Após acidentes com cobras em Denise e Nobres, deputado exige ação em busca de soro antiofídico

Única News 04/09/2020 Política

“O estoque de soro antiofídico recebido por Mato Grosso está 70% abaixo do necessário”

Política

O deputado estadual Faissal Calil (PV) apresentou indicação que sugere ao Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), que intervenha junto ao Ministério da Saúde (MS) devido à necessidade de aumentar o repasse de soro antiofídico no Estado.


Após dois casos de acidentes com cobras em Mato Grosso, sendo que um deles acabou com a morte de um vaqueiro, em Denise, que teve que vir para Cuiabá tomar o soro, porque na cidade dele não tinha, o deputado exige uma atitude, tendo em vista que o Governo solicita 100% de estoque para atender a todo o Estado e tem recebido somente 30% da demanda, segundo ele.


O outro caso é da médica nutricionista Dieynne Saugo, que foi picada três vezes por uma jararaca, enquanto tomava banho em uma cachoeira de Nobres. O acidente aconteceu no domingo (30) e Dieynne, famosa nas redes sociais e conhecida como “Doutora Fit”, está na UTI e teve que passar por uma traquestomia para respirar melhor, pois já tinha 70% do pulmão comprometido pelo veneno.
 

Uma cópia da indicação foi encaminhada ao governador Mauro Mendes e outra ao secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, para tomar providências. “Estou fazendo essa indicação para esta Casa de Leis para que envie ao Ministério da Saúde um pedido de aumento e fornecimento de soro antiofídico. No final de semana, soubemos que um senhor chamado Giovane, da cidade de Denise, foi picado por uma cobra jararaca e infelizmente veio a óbito. Antes disso, ele procurou o atendimento nos hospitais do município como o Hospital Regional de Barra do Bugres, mas não foi atendido porque estava fechado para a reforma”, justificou o parlamentar.


De acordo com o deputado, o soro antiofídico é um medicamento para tratar picada de cobras venenosas, sendo a única terapia efetiva para tratamento desse tipo de envenenamento.
 

Faissal ainda justificou a indicação com dados divulgados pela imprensa e da SES. “O estoque de soro antiofídico recebido por Mato Grosso está 70% abaixo do necessário”, disse.

Notícias da editoria