Diário da Serra

Governo vai distribuir 310 mil mudas de café para agricultores em Mato Grosso

Rosana Persona | Empaer-MT 11/09/2020 Rural

A iniciativa vai repassar 3,3 mil mudas para cada produtor selecionado, a serem cultivadas numa área de um hectare

Rural

Os Centros de Pesquisa e Transferência de Tecnologia  da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural dos municípios de Sinop e Cáceres, e o Campo Experimental de Tangará da Serra, em conjunto, vão produzir 310 mil mudas de café clonal até o final deste ano. O objetivo é atender agricultores familiares de 33 municípios, por meio do Programa Mato Grosso Produtivo-Café. A iniciativa vai repassar 3,3 mil mudas para cada produtor selecionado, a serem cultivadas numa área de um hectare.
 

O superintendente da secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), George Luiz de Lima, comenta que a meta é disponibilizar 500 mil mudas de café até o primeiro semestre do próximo ano, para implantação de 150 unidades demonstrativas. Hoje, a média de produtividade chega a 20 sacas de café por hectare. Com o plantio do café a expectativa é atingir uma produtividade média de 70 sacas/hectare. “O programa prevê o incremento numa área de 150 hectares com o plantio de cultivares geneticamente mais resistentes e produtivas”.
 

O projeto do governo do Estado com apoio das prefeituras para implantar a produção de café, uma técnica desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) do Estado de Rondônia. O projeto tem como objetivo principal fomentar e fortalecer a cadeia produtiva do café no estado, como alternativa sustentável de geração de renda para conter o desmatamento nos municípios.
 

O chefe do Centro de Pesquisa e Transferência de Tecnologia de Sinop, Wanderley da Conceição Araújo, disse  que a previsão é produzir 150 mil mudas durante o ano. Até o momento, já foram produzidas mais de 75 mil mudas de café. No último sábado, foram plantadas 55 mil estacas com cinco diferentes clones de café. Ele explicou que as mudas estarão prontas para o plantio entre 90 a 120 dias. “Nesse período não pode faltar água, o controle com a irrigação tem que ser diário, o ambiente de crescimento da muda precisa ter em torno de 80% a 90% de umidade, condição ideal para o enraizamento e desenvolvimento das mudas”.
 

Ainda de acordo com Wanderley, já foram entregues 29.7 mil mudas para produtores cadastrados dos municípios de Sinop, Feliz Natal e Cláudia. A maior exigência para o cultivo dessas mudas é a instalação de um sistema de irrigação na área com o plantio do café, mão-de-obra familiar na condução da lavoura e a assistência técnica realizada pelos extensionistas da Empaer.
 

No Centro de Pesquisa de Cáceres serão produzidas 100 mil mudas, que serão doadas para produtores da região e Vale do Rio Cuiabá.

 

No Campo Experimental de Tangará da Serra serão 60 mil para atender os agricultores de Nova Olímpia, Barra do Bugres, Porto Estrela e Diamantino. O excedente das mudas será distribuído para produtores interessados em realizar o cultivo de café.

Notícias da editoria