Diário da Serra

Barra do Bugres digitaliza mais de 4 mil processos físicos

Dani Cunha | TJMT 16/09/2020 Geral

De acordo com o juiz foram digitalizados até o momento na Primeira e Segunda Varas Cíveis, 2004 e 1841 processos físicos respectivamente e 491 na Terceira Vara Criminal

Geral

A Comarca de Barra do Bugres chega à digitalização de 4336 processos físicos. O total de processos digitalizados é equivalente a quase a metade do acervo que falta ser digitalizado nas duas varas cíveis e uma criminal, o que deve ser concluído em dois ou três meses. Com o estoque 100% digital, os ganhos serão inúmeros, como aponta o juiz Silvio Mendonça Ribeiro Filho, diretor do Foro.


“A completa digitalização do acervo processual irá proporcionar não só economia de recursos dos mais variados, como papel, energia elétrica, toners de impressora e materiais de escritório, mas também vai facilitar a todos os operadores do Direito a utilização do sistema PJe.”
 

De acordo com o juiz foram digitalizados até o momento na Primeira e Segunda Varas Cíveis, 2004 e 1841 processos físicos respectivamente e 491 na Terceira Vara Criminal. Quando todos os processos estiverem disponíveis após a virtualização, “a presença e deslocamento do advogado ao fórum não serão mais necessários, uma vez que ele terá o processo à sua disposição 24 horas por dia, o que irá proporcionar maior agilidade no cumprimento de prazos, inserção de petições e documentos e finalmente, a busca de uma prestação jurisdicional mais célere”, afirma o magistrado.
 

Barra do Bugres deixa de ter mais de quatro mil processos no papel que antes ocupavam salas e escaninhos, um esforço realizado pelos servidores, durante o período de teletrabalho em meio a pandemia da Covid-19, e também quando se preparam para mudar para o novo prédio, totalmente construído para abrigar a nova sede da Comarca. Sem falar em todas as outras demandas atendidas por eles diariamente. O resultado se deve ao planejamento elaborado na Portaria N. 09/2020/DF que estabeleceu as rotinas de trabalho para que a digitalização pudesse ser feita a contento.
 

A virtualização dos processos físicos é uma iniciativa da gestão presidida pelo desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha para tornar todo o estoque de Processos do Poder Judiciário de Mato Grosso 100% eletrônico. Para isso foi assinada Portaria-Conjunta 371, da Presidência e da Corregedoria-Geral da Justiça, que disciplina a virtualização e a digitalização dos processos físicos e seu peticionamento no âmbito do Primeiro Grau de jurisdição.

Notícias da editoria