Diário da Serra

Quinta verde Atacadão

Lévender Mattos 18/09/2020 Artigos

Os corredores dos supermercados podem ser um laço de momentos entre pais e filhos

Artigo 'Quinta verde Atacadão'

Quinta-feira aqui em casa é de lei. É dia de quinta verde Atacadão, por causa da promoção de frutas e verduras. Verduras para as refeições. Frutas para os meninos. Passeio para os pais. Lazer em família.


A saga de pais para abastecer os mantimentos e as guloseimas dos filhos. Por aqui temos piloto de carrinho e "degustador oficial" de tudo que ele alcança. Lembro de minha infância, era considerado quase um evento as idas ao supermercado, de fato era super. Estar com meus pais, agora estar com meus filhos. Momento de encher as “gondolas” dos sentimentos.


Me faz recordar ainda da "Parábola dos irmãos" que tinham que cortar o pacote de biscoito ao meio, pois era o único que os pais conseguiam comprar no "evento supermercado", escassez. Essa parábola é minha e da minha irmã.


Desde o começo da pandemia os meninos não vão mais conosco as compras, somente nós, e somente quando achamos uma boa alma para ficar com as crias, ou somente um de nós quando não temos quem deixá-los.


Nos mercados vejo a "Paz das compras". Corredores desbravados e sem crianças, mais coisas nas prateleiras, somente outros pais..., mas no fundo falta, falta a correria, a compra de itens desnecessários, pais lutando para lembrar do que os filhos gostam ou comprando exatamente a lista de compras sem supérfluos, sem aqueles inúmeros excessos e itens não essenciais, faltam os filhos.


Os corredores dos supermercados podem ser um laço de momentos entre pais e filhos, uma exceção da correria dos dias, de encontros e saberes, do que pais gostam, de marcas que filhos preferem, de malabarismo de orçamento familiar, de família.


O lado mais feliz da compra, da nossa quinta verde Atacadão, além das promoções é claro, é saber que meus meninos não têm que passar pela parábola do meio pacote.


Hora de passar as compras, de empacotar itens, de pagar a conta, de encaixar os pacotes no porta malas, de voltar para casa... o "item" filho não tem preço, é um "pacote" que vivemos tentando encaixar no nosso tempo livre, mas que ocupa todo espaço que permitimos que ocupem, sem embalagens, sem peso, invista, insista. Boas compras.


PS. Com os devidos cuidados, os filhos voltaram aos corredores dos supermercados em nossa cidade.

Lévender Mattos
Xômano de VG. Pai do Gabriel, do Enzo e do Théo. Casado com Patrícia Fernanda “Fada”. Escreve como passatempo e terapia, e quando sobra tempo. Curte encher o carrinho de compras. IG
@levender_mattos. Idealizador da página @paiterapia.



Notícias da editoria