Diário da Serra

Ledur perde promoção por “quesito moral”

Gazeta Digital 04/07/2019 Polícia

Rodrigo Claro morreu no dia 15 de novembro de 2016

Quesito “conceito moral” barra promoção da tenente do Corpo de Bombeiros Izadora Ledur, acusada de tortura com resultado morte do aluno Rodrigo Claro, 21.


É a quarta vez que Ledur entra na lista almejando a ascensão de cargo para capitã. As outras tentativas ocorreram mesmo com ela estando afastada por atestados de saúde. Apesar de ter sido aprovada nas etapas de saúde e condicionamento físico, Izadora não preencheu a última etapa, que é a análise de conceito moral.


Por responder a crime de tortura e ao Conselho de Justificação, ela não se enquadra na promoção. “A comissão decidiu por unanimidade não incluir no quadro de acesso por antiguidade a 1ª tenente Izadora Ledur de Souza Dechamps por estar respondendo a processo penal por tortura (aluno Claro) e Conselho de Justificação, não preenchendo assim o requisito”, confirma boletim do Corpo de Bombeiros.


No mês passado a tenente passou a responder a um novo inquérito policial militar, também por tortura. Desta vez o denunciante é o ex-aluno Maurício Santos, do 15º curso de Formação do Corpo de Bombeiros, em 2015.


Rodrigo Claro morreu no dia 15 de novembro de 2016 após participar de treinamento e atividades aquáticas. Segundo denúncia do Ministério Público, a vítima foi submetida a sessões de afogamento durante a travessia na lagoa, sob o comando da tenente Ledur, o que resultou na morte.
 

Notícias da editoria