Diário da Serra

Investimento na Primeira Instância: Tangará da Serra ganha Fórum mais moderno e funcional

TJ MT 25/07/2019 Geral
Geral

Melhorar a estrutura da Primeira Instância e investir em inovação fazem parte das metas que estão sendo traçadas pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso para aproximar cada vez mais o Poder Judiciário do cidadão. E é com essa visão que o presidente do Judiciário estadual, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, inaugurou a ampliação da sede do Fórum da Comarca de Tangará da Serra (239 km a médio-norte da Capital), nessa segunda-feira (22 de julho).

 

O novo prédio, um anexo de 1.500 m², foi planejado para abrigar o tribunal do júri, as duas varas criminais, com as respectivas secretarias, salas para arquivo, recepção e refeitório. Além de dobrar de tamanho físico, de acordo com o juiz e diretor da unidade judiciária, Anderson Gomes Junqueira, o Fórum Doutora Joanice Oliveira da Silva Gonçalves passa a experimentar um novo tempo para atender com mais qualidade as demandas.

 

Atualmente, tramitam na Comarca de Tangará da Serra, com população estimada em 110 mil habitantes, cerca de 45 mil processos, dos quais nove mil são da área criminal. Nas contas do magistrado, desses autos criminais, dois mil envolvem violência doméstica.

Instalada em 1983, a Comarca de Terceira Entrância, atendida por oito magistrados e 145 profissionais, entre servidores, assessores de gabinetes, estagiários e terceirizados, além das duas varas criminais, tem cinco varas cíveis, sendo uma de Fazenda Pública, e um juizado especial. “Era um anseio que se torna realidade graças ao empenho do nosso presidente, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, e os dois antecessores dele, os desembargadores Paulo da Cunha e Rui Ramos, quando administraram o Judiciário”, destacou o diretor do Fórum.

 

“O anexo criminal possibilitará mais conforto e funcionalidade para que possamos fazer melhor entrega da prestação jurisdicional”, frisou Anderson Junqueira. “É um sonho que começou em 2016 e agora é concretizado, na gestão do desembargador Carlos Alberto, para oferecer melhor serviço aos jurisdicionados e à população, de forma geral”, assinalou o desembargador Paulo da Cunha.

“Um investimento dessa envergadura, com esse espaço moderno e adequado, mostra o empenho da direção da unidade e da administração do Tribunal de Justiça. Todos que estão envolvidos diretamente na lide forense ganham. Parabéns a todos”, pontuou o presidente da subseção de Tangará da Serra da Ordem dos Advogados do Brasil (10ª Subseção), Franco Ariel Bizarello dos Santos. “Essa obra é motivo de satisfação e orgulho para a nossa cidade por saber que o Poder Judiciário evoluiu a cada tempo, especialmente nas acomodações”, assegurou o prefeito Fábio Junqueira (MDB).

Para o corregedor-geral da Justiça, desembargador Luiz Ferreira da Silva (ao centro, na foto), a ampliação do espaço do Fórum possibilitará resultados positivos, principalmente para os jurisdicionados. “A interiorização do Judiciário desenvolvida pelo desembargador Carlos Alberto garante mais eficiência à estruturação das unidades. Isso possibilitará melhor entrega das nossas demandas jurídicas”, completou o desembargador.

“Vivemos em um novo tempo, um tempo em que a sociedade está mais consciente, se comunica na velocidade da internet e tem pressa na solução dos conflitos. Então, essa nova estrutura física do Fórum de Tangará da Serra, além de aumentar o ambiente, para melhor atender a sociedade, vem ao encontro dos nossos desafios, que é, como pede o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em todo o país, de uniformizar um sistema para a completa implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe). Até o final do ano que vem atingiremos 100% das 79 unidades judiciais do nosso Estado, e Tangará da Serra, como as demais comarcas, terá a satisfação de fazer parte de um dos primeiros tribunais do país a abolir o papel para a tramitação de novos processo”, sublinhou o presidente do TJMT.

Na cerimônia de inauguração do anexo criminal, ao cumprimentar as autoridades, magistrados e demais presentes, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, em nome de todos os servidores, fez referência à técnica judiciária Marlene Dias Soares da Silva, que trabalhou com ele em Diamantino, quando atuou naquela unidade, e que, desde 1997, está em Tangará da Serra. “Uma surpresa das melhores encontrar essa profissional aqui”, finalizou o desembargador-presidente.

A inauguração foi prestigiada também por advogados, defensores públicos, promotores de Justiça, pelo representante da Câmara Municipal, vereador Sebastian Ramos. 

A obra foi realizada em 18 meses, ou 547 dias, com recursos próprios do Poder Judiciário mato-grossense, por meio do Fundo de Apoio ao Judiciário (Funajuris) com receita originada no recebimento de custas processuais.tian Ramos (PSB), pelo juiz auxiliar da Presidência Túlio Duailibi Alves Souza, e pelo presidente da Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), juiz Tiago Souza Nogueira de Abreu.

Notícias da editoria