Diário da Serra

Redução de feminicídio íntimo é um dos maiores desafios

Assessoria / PJC-MT 08/08/2019 Polícia

O problema vem sendo amplamente debatido pelos integrantes da Câmara Temática de Combate à Violência Doméstica

Delegado Cláudio

A interiorização da violência é outro fator de preocupação dos órgãos de enfrentamento à violência doméstica, que tem sua causa primária em muitos casos de feminicídios. O assassinato de mulheres por questões de gênero ou feminicídio íntimo, como é classificado, é o último grau da violência ocorrida dentro de casa.


O problema vem sendo amplamente debatido pelos integrantes da Câmara Temática de Combate à Violência Doméstica, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), em busca de mecanismos para redução dos índices no Estado. No primeiro semestre deste ano foram registradas 44 mortes de mulheres, sendo até o momento, 21 casos enquadrados na lei do feminicídio (13.104/15), cometido por pessoas com vínculo conjugal, motivado por razões ou desigualdade de gênero.


“Um dos grandes desafios é a diminuição do índice de feminicídio íntimo, que é esse praticado no interior das residências, do lar”, afirma a delegada Jozirlethe Magalhães Criveletto, que preside a Câmara Temática.


Para o delegado Cláudio Álvares Sant’ana é possível prever as mortes ocorridas nos lares, na medida em que os agentes de segurança possam dar tratamento especial aos casos reiterados de violência, e tomem providências para evitá-los.
 

Notícias da editoria