Diário da Serra

Tangaraenses participarão de seletiva para Olimpíada Internacional de Astronomia

Paulo Desidério / Redação DS 13/08/2019 Educação

Somente oito estudantes participarão da seletiva

Professora Elizabet e os selecionados da Atec

Os estudantes Alessandro Coltro Pires, Gabriel Pessoa de Lima Biazus, João Emmanuel Tocchetto dos Santos, Lucca Oliveira Vasconcelos de Faria, Maria Beatriz Zulli, da Atec; Caio Marcelo Cavallari Ruas, da Avance; Sofia Werle Torres, do Ipes; e Rafaela Maziero Martinazzo, do Centro Municipal de Ensino José Nodari, participarão de seletiva para a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, em inglês).


A seleção terá início em setembro, com fase online, promovida pelo Observatório Nacional. Os melhores classificados participarão de prova presencial prevista para março de 2020 e dessa serão selecionados oito estudantes para representar o Brasil na competição internacional, que acontecerá em Bogotá, na Colômbia, em 2020.


O convite para essa seletiva é resultado da participação na XXII Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). Foram convidados todos os estudantes de nível 4 que obtiveram nota maior ou igual a sete. Em Tangará somente esses estudantes alcançaram esse resultado.


Com o maior número de alunos nesta lista, a professora Elizabet Lorenzon, comemorou o sucesso de seus alunos na Olimpíada. A Atec foi a que mais emplacou alunos na lista, com cinco nomes. “Nós somos hoje no estado de Mato Grosso a segunda escola que mais participou das olimpíadas e hoje somos a segunda escola que tem mais alunos classificados em todo o estado. Se você perguntar a que isso se deve, qual é a fórmula do sucesso, eu diria que é o fato de nossa escola oferecer uma educação completa. Nossos alunos compreendem que todas as áreas do conhecimento são importantes”, argumenta, ao revelar felicidade pelo sucesso dos estudantes.


OLIMPÍADA INTERNACIONAL 2019 – Nesta terça-feira, 13, o Brasil conquistou três medalhas de bronze e duas menções honrosas na 13ª edição da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica, em Keszthely, na Hungria. A IOAA é realizada desde 2007. Agora, o Brasil soma ao longo da história 14 medalhas de prata, 27 de bronze e 28 menções honrosas.
 



Notícias da editoria