Diário da Serra

Ligação

Lévender Mattos 15/08/2019 Artigos

Se está com saudades, porque não diz antes, antes de estar distante?

Artigo

Ligação

Quando estamos perto existe uma tendência a não se valorizar tanto a proximidade, o contato, o abraço, o bom dia, boa tarde ou boa noite, os momentos, os minutos, os dias, as horas. Não damos valor ao presente.


A distância torna muito mais presente os “sentimentos de falta”, e principalmente a importância de se estar perto, perto de quem a gente gosta ou de quem gosta da gente. No meio do caminho sem volta, quantas ligações sem assunto ou necessidade no meio da semana. Quantas viagens não programadas de finais de semana. Quantos jantares em plena segunda-feira na mesa da varanda. Tudo para diminuir a distância e ficar perto.


Mês dos pais, me peguei então essa semana tentando (re)lembrar quando comecei a dar importância nesta data, e não, não foi quando me tornei pai.


Sim, passei inúmeros dia dos pais ao lado do meu, fazendo alguma coisa que não me lembro ao certo, estava perto, mas distante, a juventude era pujante.


Ele nunca foi tecnológico, nem gosta de telefonemas, ou seja, a gente só conversava se estivesse perto. A juventude passou. Saí de casa. Fui para longe.

Agora era sou o "chefe" da família.


Chega então o meu primeiro dia dos pais longe. Distante e só em casa. Silêncio, almoço simples enquanto passa qualquer coisa na TV, meu telefone toca, era minha mãe, que me liga todo dia, até hoje, mas o recado era breve:


- Oi filho, seu pai quer falar com você!


Ao telefone, na sequência de um suspiro ouço somente uma frase, vinda de uma voz embargada:


- Oi filho, tô com saudade!


Foi a única coisa que ele conseguiu falar, e eu? Eu não disse nada, só ouvi, e senti aquela mesma saudade, com o coração palpitando e os olhos brilhando, ficamos então sem nenhum outro diálogo falado, eu de cá, e ele de lá. A ligação foi tempo suficiente para eu saber que, um dia, eu quem vou fazer uma ligação cheio de saudades de alguém que já não mora na mesma casa, no mesmo endereço.


Foi neste dia então e com essa ligação que eu descobri o encanto da paternidade e do nó na garganta que a distância causa, que gostar não tem fronteiras, e que se a gente gosta deve dizer e se está com saudade também.


Por aqui, depois de muitos anos, no dia dos pais não ficamos distantes... esse foi o presente!


Mas, e você? Se está com saudades, porque não diz antes, antes de estar distante? Liga. Ação.


Lévender Mattos
Filho do seu Levino. E Pai do Gabriel, do Enzo e do Théo. Idealizador da página @paiterapia.



Notícias da editoria