Diário da Serra

Crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo

Fabíola Tormes / Redação DS 21/08/2019 Saúde

Trabalho preventivo em decorrência do aumento de casos da doença

Medida preventiva deve alcançar 1,4 milhão de crianças

Crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo

A partir desta quarta-feira, 21, todas as crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo em todo o país. Essa medida preventiva deve alcançar 1,4 milhão de crianças que não receberam a dose extra, chamada de ‘dose zero’, além das previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses.


O objetivo, segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Tangará da Serra, Juliana Herrero, é intensificar a vacinação desse público-alvo, que é mais suscetível a casos graves e óbitos, além de ser um trabalho preventivo em decorrência do aumento de casos da doença em alguns estados brasileiros. “É uma vacina de rotina, que a primeira dose é feita com um aninho de idade e a segunda dose aos 15 meses. Como no Brasil estamos tendo muitos casos confirmados, o Ministério da Saúde tem uma preocupação extra, pois a maioria são em crianças menores de um ano”, explica, ao convocar todos os pais com crianças nesta faixa etária, para que tragam seus filhos até uma unidade de saúde para imunização. “Isso para evitar complicações e óbitos, porque o sarampo é uma doença viral grave, que pode ter complicações importantes e pode ocasionar o óbito também”.


É importante esclarecer que a chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomado a “dose zero” da vacina.


Para reforçar esse trabalho de imunização, neste sábado, dia 24, a Clínica da Família atenderá das 8h às 16h, para vacinação. “Lembrando que essa intensificação não é somente para as crianças. Todas as pessoas acima de 15 meses, até 29 anos, precisam ter duas doses do sarampo na vida. E a partir dos 30 anos, uma dose. Então, quem tem dúvida se tem ou não essas doses, pode procurar uma das unidades de saúde”, alerta a coordenadora.


Na rotina do Sistema Único de Saúde (SUS) a tríplice viral está disponível em todas as unidades de saúde. A vacina previne também contra rubéola e caxumba. (Com informações Agência Saúde)


País apresenta surto ativo da doença

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil registrou, nos últimos 90 dias, entre 19 de maio a 10 de agosto de 2019, 1.680 casos confirmados de sarampo – um surto ativo da doença, com crescimento do número de casos confirmados.


De acordo com boletim epidemiológico, são 1.680 casos confirmados, em 11 estados: São Paulo (1.662), Rio de Janeiro (6), Pernambuco (4), Bahia (1), Paraná (1), Goiás (1), Maranhão (1), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (1), Sergipe (1) e Piauí (1). O coeficiente de incidência da doença foi de 0,80 por 100.000 habitantes.


Porém, mesmo Mato Grosso estando fora deste mapa da doença, a imunização é importante, considerando a possibilidade de trânsito de pessoas doentes para regiões afetadas e não afetadas. “Por isso é preciso que todas as crianças na faixa prioritária sejam imunizadas contra o vírus do sarampo”, alerta Juliana Herrero, ao frisar que em Tangará não há histórico de sarampo, mas, “todo cuidado é pouco”.


Vale ressaltar que neste ano tivemos um caso suspeito notificado, de uma criança menor de um ano, mas que foi descartado para a doença.“Não foi detectado, no final da investigação, o sarampo”.

Notícias da editoria