Diário da Serra

Dupla que causou acidente que matou dois na MT-358 responderá por crime de trânsito

Paulo César Desidério 26/08/2019 Polícia

Acidente aconteceu na noite de domingo, próximo ao Distrito de Progresso

Polícia

O acidente registrado na noite do último domingo, 25, na MT-358, envolvendo caminhonete e motocicleta deixou duas vítimas fatais. Lourdes Gonçalves dos Santos, de 40 anos, que estava na garupa da moto, morreu na hora. O condutor da motocicleta, Jovino Gualberto da Silva, de 41 anos, chegou a ser socorrido pelas equipes de resgate e levado para o Hospital de Nova Olímpia, porém, também não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. O casal, vítima do acidente, era de Barra do Bugres.


O acidente aconteceu por volta das 20 horas do último domingo. Os dois veículos trafegavam nas proximidades do Distrito de Progresso, sentido Nova Olímpia. A motocicleta foi atingida por trás e os ocupantes da Amarok se evadiram sem prestar socorro às vítimas. Duas pessoas acabaram detidas pela Polícia Militar, já na cidade de Nova Olímpia.
 

Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, 26, o delegado Adil Pinheiro, da Polícia Judiciária Civil de Nova Olímpia, declarou que a condutora da caminhonete, A.C.R.C reside naquele município. O passageiro, E.T., é do município de Denise. Eles devem responder por crime de trânsito.
 

“Eles atropelaram esse casal que estava de motocicleta e saíram sem prestar socorro. Há sinais de que passaram por cima das vítimas e elas foram arrastadas por dezenas de metros. A perícia vai confirmar, mas há indícios de que houve esse arrastamento das vítimas. Eles tentaram fugir, escondendo a caminhonete em uma residência aqui de Nova Olímpia”, disse, ao explicar que populares viram a ação e denunciaram à PM.
 

Ainda de acordo com o delegado, uma terceira pessoa estava no veículo. Os três retornavam de um bar, sendo que a condutora, que se recusou a fazer o teste de bafômetro, estava visivelmente embriagada. O teste do passageiro deu positivo para a ingestão de álcool. O carro estava em seu nome e ele tentou afirmar que era o condutor, o que não é verdade segundo as autoridades. 
 

A mulher que conduzia a caminhonete responderá por homicídio culposo, agravado por dirigir sem habilitação, omissão de socorro e embriaguez. 
 

“O fato de ela estar embriagada qualifica o crime para uma pena de 5 a 8 anos. Como foram duas mortes, ela vai responder dobrado”, frisou o delegado.
 

Já o homem, que mentiu para a polícia, responderá por autoacusação falsa e pelo crime de entregar seu veículo à pessoa não habilitada. Ele pagou fiança e foi liberado. Ela, por sua vez, permanecerá presa e será apresentada em audiência de custódia em Barra do Bugres nesta terça-feira, 27.
 

Notícias da editoria