Diário da Serra

Representantes da Comunidade surda de Tangará discutem alternativas inclusivas com a Diretoria da Unemat

Taian Franco/Assessoria Unemat 05/09/2019 Educação
Foto: Comunicação/Unemat Tangará

Acessibilidade e Inclusão são os temas da reunião que firmou parceria entre os representantes da Comunidade surda e a Diretoria Político-Pedagógica e Financeira do Câmpus da Unemat de Tangará da Serra, realizada na última segunda-feira (02.09). Na ocasião, o Diretor Político-Pedagógico e Financeiro, Raimundo França, recebeu um grupo de professores em Libras, Arnaldo Teixeira de Silveira, Idalina Meurer e Lenira Lima. O objetivo foi propor ações que gerassem uma maior acessibilidade comunicativa para pessoas com surdez e deficiência auditiva dentro da universidade, de modo a comunidade acadêmica se sensibilizar.

 

Entre as iniciativas propostas, estão o estímulo à presença de profissionais intérpretes em eventos que ocorram na instituição e o uso da disciplina de libras (língua brasileira de sinais) como obrigatória para todos os cursos. Também houve a recomendação que haja uma correção em libras, nos vestibulares realizados pela Coordenação de Vestibular da Unemat (COVEST).

 

A Comunidade surda no Brasil
De acordo com o último censo demográfico (IBGE, 2018), a população surda do Brasil é de aproximadamente 10 milhões de pessoas. Algo equivalente a 5% da população.

 

Algumas iniciativas da Unemat 
A Unemat já vem desenvolvendo ações para a inclusão da comunidade surda, com editais publicados em Libras, intérpretes em alguns eventos de Letras e a disciplina eletiva para os cursos ofertados pela instituição. Ainda assim, a reunião com os representantes da comunidade surda e a Diretoria do Câmpus de Tangará da Serra visa aumentar a visibilidade e melhorar a convivência dentro do espaço acadêmico.

Notícias da editoria