Diário da Serra

Família lutou 12 anos por indenização

Mídia News 12/09/2019 Polícia

MORTA POR ENVENENAMENTO

Avó da vítima

Uma ação de indenização que tramitou por 12 anos na Justiça de Mato Grosso é apontada pela Polícia Civil como o estopim para morte por envenenamento de uma menina de 11 anos, em Cuiabá.


A madrasta da criança foi presa na segunda-feira, 09, acusada de ter dado o veneno para a menina a conta-gotas para supostamente poder ficar com o valor da indenização. Apesar da Polícia Civil ter divulgado que o valor seria de R$ 800 mil, a reportagem apurou com a família que, na verdade, o montante é R$ 606,7 mil.


A ação foi ingressada em 2007 pela avó materna da criança, a merendeira Claudina Chue, contra o Hospital Santa Helena, após sua filha e mãe da menina, Poliane Chue Marques, morrer durante o parto.


Claudina contou que a filha foi internada às 14h do dia 21 de novembro de 2007 no hospital e deu à luz sua filha, na madrugada do dia 22, exatamente a 1h10.
Poucas horas depois, conforme testemunhas contaram à mãe, Poliane começou a sentir fortes dores e pediu que ela acionasse uma enfermeira. A profissional teria dito que a situação era normal e que o médico só voltaria de manhã. Conforme a ação judicial, às 9h do dia 22 Poliane sofreu uma hemorragia. Teve duas paradas cardíacas e foi encaminhada para a Unidade Terapia Intensiva (UTI). Às 10h40, ela não resistiu e morreu.


Após várias condenações, o hospital recorreu, mas sem sucesso. A partir daí houve um acordo com o hospital que ao final chegou ao valor total de R$ 606.770,00.
 

Notícias da editoria