Diário da Serra

Último latrocínio consumado em Tangará da Serra ocorreu há dois anos

Redação DS 25/09/2019 Polícia

Crime tirou a vida de professor, que foi morto a facadas em junho de 2017

Polícia

16 de junho de 2017. Este foi o triste dia em que um roubo seguido de morte havia sido registrado pela última vez em Tangará da Serra. O crime que chocou a população tangaraense tirou a vida de Valdir Andrade, que tinha 46 anos de idade, e foi morto em seu apartamento, na Avenida Brasília, localizado no centro de Tangará da Serra. À época, o professor foi assassinado a facadas após ter seu veículo e outros pertences subtraídos por dois elementos. Um deles tinha 16 anos e o outro, 18.

 

Os criminosos foram capturados pela polícia no dia seguinte ao crime. Ambos já possuíam passagens pela polícia e, segundo as autoridades, possuíam envolvimento com drogas. Os investigadores concluíram que um dos rapazes tinha um relacionamento com a vítima, o que facilitou o acesso da dupla à sua residência.

 

Em 2018, uma tentativa de latrocínio também foi registrada em Tangará da Serra. Desta vez, felizmente a vítima conseguiu escapar com vida em crime ocorrido no dia 23 de abril daquele ano, no Jardim Aeroporto. Uma mulher foi abordada e quando percebeu que seria rendida por um grupo de quatro homens armados, acelerou a caminhonete que conduzia. Com a reação, um dos criminosos atirou contra ela, atingindo-lhe na altura dos membros superiores. O disparo passou de raspão em um dos braços da mulher e perfurou o outro.

 

Vale ressaltar que neste ano de 2019, todos os homicídios registrados em Tangará da Serra haviam sido crimes motivados por acerto de contas ou rixas entre grupos criminosos.

Notícias da editoria