Diário da Serra

Renato Gouveia recorre à Anatel por melhorias nos serviços de internet e telefonia em Tangará

Diego Soares/ Assessoria de Imprensa 27/09/2019 Política
Política

As constantes reclamações sobre a qualidade dos serviços de internet e telefonia móvel prestados por operadores em Tangará da Serra ganharam o apoio do Prefeito em Exercício do Município, Renato Gouveia, que protestou junto à Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) por melhorias nos serviços oferecidos na cidade.
Gouveia protocolou na Agência, em Brasília, um ofício encaminhado ao Presidente da ANATEL, Leonardo Euler de Moraes, onde solicita providências quanto à qualidade na prestação dos serviços de internet e telefonia móvel, considerando que é recorrente as reclamações e procedimentos cadastrados junto a unidade do Procon no Município.
“Conseguimos uma audiência na Anatel onde frisamos, ao protocolar ofício, que existe uma constante queda de sinal durante ligações recebidas e efetuadas. Pontuamos ainda que o serviço de internet móvel é deficitário e que traz enormes dificuldades na comunicação, assim como prejuízos para a atividade empresarial e para a população em geral na nossa região”, salientou o Prefeito em Exercício.
O texto do ofício protocolado na Agência enfatiza que as reclamações atinentes a queda de sinal e nos serviços de internet são recursivas principalmente na modalidade móvel seguindo a seguinte ordem: Vivo, Claro Tim e Oi, que são as líderes nessas reclamações. “Ressaltamos que um serviço de telefonia e internet, seja fixa ou móvel, de qualidade, é de suma importância para Tangará da Serra e região, pois o Município é polo de desenvolvimento no agronegócio com atividade pujante na indústria, comércio e na prestação de serviço em diversas áreas”, frisou Gouveia.

QUEDA DE SINAL – No Ofício protocolado junto a ANATEL, Renato Gouveia enfatiza que os problemas mais recorrentes protestados junto ao PROCON em Tangará da Serra diz respeito aos serviços de telefonia móvel por conta da interrupção no serviço, ou seja, a queda do sinal de internet e a interrupção nas ligações.
“Outra questão que levantamos junto a Agência é relativa a internet banda larga vendida pelas concessionárias de telefonia. É comum que as operadoras vendam o serviço de internet 3G ou 4G e posteriormente o consumidor verifique que o serviço não está incluído em determinada área de cobertura ou tem uma velocidade inferior ao que é prometido pela empresa”, disse.

Notícias da editoria