Diário da Serra

Importância da família na aprendizagem dos filhos

Sirlene Gomes da Silva Salvador 08/10/2019 Artigos

A família deve acompanhar de perto o que acontece na sala de aula

Artigos

No mês de outubro comemora se o dia das crianças e por isso vale apena lembrar principalmente aos pais da importância deles na aprendizagem dos filhos.


A importância dos pais na educação dos filhos é essencial, dar apoio e cuidados adequados ao filho é uma responsabilidade exigente, muitas vezes os pais estão preocupados com outros problemas (profissionais, económicos e outros) que se esquecem de dar atenção aos seus filhos, o que leva muitas vezes a um afastamento entre pais e filhos, e é precisamente isso que não se  deve deixar acontecer.


Consideramos fundamental nos dias de hoje, e com a constante evolução da sociedade que as escolas devam acima de tudo ser promotoras de estratégias que promovam uma maior aproximação dos pais à escola. Certos que esta é uma vantajosa parceria, consideramos oportuno, entrar de forma um pouco mais profunda neste campo pedagógico, onde possamos tentar perceber como é que os pais acompanham o progresso dos filhos na escola e se por parte da escola é feito algum acompanhamento e, por sua vez, como é feita a inserção dos pais na escola e na vida escolar dos seus filhos/encarregados de educação.


A escola é um local onde os pais confiam à educação dos seus filhos e encontram nela um tipo de apoio para as suas vidas, sendo mesmo um elemento indispensável para os pais e encarregados de educação. Na escola existe todo um conjunto de professores capazes de poder ajudar e acompanhar não só os alunos como também os encarregados de educação, podendo neste caso, dar pistas educativas, com vista a que os pais possam e consigam perceber as dificuldades e lacunas a preencher nas mais variadas disciplinas. Tudo isto torna a relação entre escola-família um pouco mais próxima e promotora de uma saudável construção relacional.


Ao longo do tempo, a relação escola-família foi sofrendo algumas transformações, evoluindo de uma relação assimétrica, onde era atribuído um maior poder à escola e um papel mais passivo aos pais, para uma relação mais simétrica, de maior proximidade e onde a colaboração estreita entre família e escola é desejável.


As maiores dificuldades nesta relação surgiam no caso das famílias de baixo estatuto socioeconómico, em que os progenitores, embora se mostrassem interessados em colaborar na educação dos filhos em casa, não tinham competências nem conhecimentos para “fazer mais”. É de extrema importância que se comece a dar mais atenção a esta parceria entre a escola e a família, pois é a partir dela que estão os alicerces seguros para que os educandos.  Entretanto, nos dias atuais, esta relação nem sempre é completa. Quanto mais precoce a família participar do cotidiano escolar da criança, das atividades propostas em parceria com a escola, melhor são os resultados.


A família deve acompanhar de perto o que acontece na sala de aula, é imprescindível essa integração.  É preciso que os pais se impliquem nos processos educativos dos filhos no sentido de motivá-los afetivamente ao aprendizado. O aprendizado formal ou a educação escolar, para ser bem-sucedida não depende apenas de uma boa escola ou de bons educadores, mas, principalmente, de como a criança é tratada em casa e dos estímulos que recebe para aprender.


A falta deste vínculo pode prejudicar a autoestima da criança e pode causar distúrbios na aprendizagem escolar, sentimentos de desvalorização, carência afetiva, desinteresses em determinadas atividades, falta de concentração. Percebe-se que família necessita contribuir com a escola e vice-versa, pois é baseado nessa parceria que se procuram alcançar os objetivos de desenvolver e construir, de maneira harmoniosa e satisfatória, a aprendizagem do filho/aluno contribuindo assim, para que haja uma formação integral da criança.

Professora Sirlene Gomes da Silva Salvador
 

Notícias da editoria