Diário da Serra

EM DIÁLOGO – Governo recua e anunciará novas medidas para conter a Covid-19

Redação DS 22/03/2021 Saúde

Executivo mantém diálogo para que se chegue a uma proposta

Mendes anunciará novas ações, iniciando nesta sexta

O governador Mauro Mendes (DEM) decidiu não enviar nesta segunda-feira, 22, o projeto de lei que prevê antecipação de feriados em todo o Estado, com o objetivo de tentar frear o avanço da Covid-19, em uma espécie de mini-lockdown.

O Chefe do Executivo Estadual disse que permanecerá com diálogo permanente com todos os Poderes, setor produtivo e sociedade civil organizada até que se chegue a uma proposta que surta impacto na desaceleração da transmissão do vírus.

O consenso entre os setores e o Governo é de que há a necessidade urgente de se tomar medidas mais efetivas. Por isso, novas ações deverão ser anunciadas, iniciando nesta sexta-feira, dia 26 de março.

Inicialmente a proposta de antecipação dos feriados seria encaminhada a Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso nesta segunda-feira, 22, propondo o fechamento de todo o comércio do dia 24 ao dia 26 de março (quarta a sexta desta semana), e também nos dias 1 e 2 de abril (quinta e sexta) da próxima.

Contudo, existe uma pressão dos municípios do interior, onde a pandemia está mais controlada e praticamente não há casos, assim como dos setores comerciais, contrários a proposta. Segundo eles, além de quebrar a economia, a medida somente servirá para provocar mais aglomerações, já que as pessoas não estarão trabalhando e poderão fazer festas.

Atento e ouvindo a todos, o deputado estadual Doutor João José de Matos entende que o fechamento não é a melhor solução.

“Não irá resolver nada. Se a gente fechar tudo vai colocar as pessoas na rua, nas festas, nas beiras de rio, chácaras e sítios”, avalia o parlamentar.

“Temos que deixar a população trabalhar, produzir, porque o pior pode ter. Já temos gente morrendo com a doença, morrendo com o vírus e vai começar a ter gente morrendo de fome”.

Para ele, antes de qualquer atitude, é preciso que se faça essa discussão ampla, como está sendo feita agora.

“Sou contra tudo isso. Lockdown não vai levar a nada. Temos que educar nossa população, pedir apoio as forças de segurança e não podemos parar de trabalhar”.

(Com informações Assessoria do Estado)

Notícias da editoria