Diário da Serra

TANGARÁ DA SERRA - Para deputado, chamamento público seria alternativa rápida para definição de área para o Hospital Regional

Fabíola Tormes / Redação DS 22/10/2021 Saúde

A problemática levantada é em relação a demora no processo licitatório para definição da área, o que impedirá a licitação da obra em tempo hábil pelo Governo do Estado

Saúde

O reinício do processo de escolha de uma nova área para a construção do Hospital Regional de Tangará da Serra gerou uma grande discussão esta semana. À imprensa, após audiência pré-processual de conciliação e notificação do Ministério Público, a Prefeitura Municipal informou que a definição de área do hospital regional será realizado através de uma licitação. 

Depois de todo esse processo o terreno será doado ao Estado de Mato Grosso, para que, então, inicie a licitação para a construção da unidade hospitalar regional. Contudo, a problemática levantada é em relação a demora no processo licitatório para definição da área, o que impedirá a licitação da obra em tempo hábil pelo Governo do Estado, tendo em vista o período eleitoral. 

“A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) esclarece que, para a construção do Hospital Regional de Tangará da Serra, foi acordada uma contrapartida do município quanto à disponibilização do local para a edificação da estrutura. Após a apresentação e regularização do terreno, o Estado licitará o projeto específico para o local. Neste momento, a SES aguarda a regulamentação da área sugerida pela Prefeitura de Tangará da Serra, de forma que haja segurança jurídica no lançamento da licitação”,

se manifestou a assessoria de imprensa a Secretaria de Estado de Saúde, em resposta a Rádio Serra FM, que nesta sexta-feira, 22, recebeu ao vivo durante o Programa Primeira Hora o Deputado Estadual João José de Matos, o Dr. João.

“Se nós tivermos demora, como é de costume na Prefeitura, dentro de uma licitação, de todos esses prazos que tem que ser cumpridos, chegaremos ao mês de abril. Em abril o Estado não pode mais contratar, pois estaremos em período eleitoral. Então, nesta gestão do Governador Mauro Mendes, adeus hospital”, analisou o apresentador do programa, Mano Reski, ao questionar o deputado presente. “Ou tem coisa diferente que pode ser feita?”.

Para o deputado, uma alternativa rápida para definição de área para o Hospital Regional seria um Chamamento Público.

“As coisas são demoradas (…) e na minha opinião, um chamamento público, com um edital prático, objetivo, bem feito, acredito que em 45 dias teríamos condições de resolver o problema a nível de justiça, a nível de Ministério Público”, sugere.  

O deputado garantiu que ainda nesta sexta-feira, 22, se reunirá com o prefeito Vander Masson para discutir essa alternativa e na segunda-feira, 25, se reunirá com o Governador Mauro Mendes, para solicitar um pouco mais de tempo para esse processo.

“Vou a Prefeitura, conversar com o prefeito, sugerir essas ideias. O que precisar da gente, de alguma experiência da Secretaria Estadual de Saúde, para dar uma agilidade. (…) porque se deixar, [o processo] pode demorar seis meses, um ano”.

União de todos

Na mesma entrevista, Dr. João e os demais participantes fizeram um chamamento à sociedade para participar desse processo.

“A sociedade precisa participar, apoiar. Unir forças para ultrapassar esse impasse”,

afirma o deputado estadual.

“Está na hora de unir forças da sociedade, da Câmara Municipal, da Assembleia Legislativa e mostrar o apoio ao prefeito para a construção do hospital regional. Está na hora de Tangará pensar em Tangará”.

Notícias da editoria