Diário da Serra

ENFERMAGEM – Acadêmicas desenvolvem projeto para orientar gestantes sobre seus direitos

Fabíola Tormes / Redação DS 23/11/2021 Saúde

Objetivo é auxiliar as gestantes em todos os períodos de gestação

Saúde

Pensando nas principais dúvidas que as gestantes possuem durante o parto, colhendo relatos e depoimentos, que as acadêmicas do quinto semestre do Curso de Enfermagem da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) campus de Tangará da Serra, desenvolveram o trabalho ‘Gestantes, conheçam seus direitos’.

Desafiadas pela professora Mestre Thalise Yuri Hattori, da disciplina ‘Processo de cuidar II’, as acadêmicas Roberta Filipini, Géssica Santana, Ana Vitória, Natylla Duarte e Franciele Valdameri desenvolveram um material audiovisual para auxiliar o maior números de mulheres possíveis a conhecerem seus direitos no período de pré-natal, trabalho de parto, parto e pós-parto imediato.

“Todo o material foi elaborado a partir de muita pesquisa, buscando reunir de forma sucinta informações para gestantes ou futuras gestantes”,
explicam as acadêmicas Roberta Filipini e Géssica Santana, em entrevista ao Diário da Serra.
“Sou mãe e também não sabia, por exemplo, que tinha direito a um acompanhante na sala na hora do parto pelo SUS. Não sabia que meu marido poderia ser o acompanhante depois que o bebê nascesse, porque eles afirmam que tem que ser uma mulher. Mas não, você que escolhe o acompanhante. Várias coisas que eu não sabia, pois não te passam essas informações”,
completa Roberta Filipini.
“Então a gente pensou em expor, informar a todas que elas tem direito e que deve ser cumprido”.

Segundo as acadêmicas, as mais conhecidas são as leis trabalhistas, mas estes outros direitos precisam ser atendidos pelos hospitais, especialmente no sistema público de saúde.

Segundo elas, a principal lei não cumprida é a 11.108, de 2005, que garante que a parturiente tenha o direito de indicar um acompanhante durante o período de trabalho de parto, parto e pós-parto imediato.

“Você pode exigir a presença do acompanhante tanto em hospitais públicos, como nos privados, nos civis ou nos militares e até mesmo em hospitais-escolas”.

Outro destacado por elas é o direito de visitar a maternidade em que fará o parto. Esse direito está amparado pela Lei nº 11.634 de 2007.

Trazem ainda informações relacionadas a violência obstétrica, como raspagem dos pelos pubianos, episiotomias de rotinas e realização de enema; assim como direitos durante nesse período de pandemia.

O material está disponível nas redes sociais das acadêmicas e na página oficial do Curso de Enfermagem da Unemat Tangará da Serra, em postagens visuais e sonoras.

A expectativa, agora, é transformar todo esse trabalho em material publicitário para serem divulgados nas salas de espera das unidades de saúde do Município, dando maior visibilidade aos direitos das gestantes.

Confira o PDF do projeto aqui.

Notícias da editoria