Diário da Serra

EM TANGARÁ – Vereador articula criação de Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais

Fabíola Tormes / Redação DS 22/11/2021 Política

Parlamentar busca também a criação do Fundo para projetos e ações

Política

Promover ações destinadas à saúde, à proteção, à defesa e ao bem estar animal são algumas das atribuições do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (CMPDA), órgão consultivo e deliberativo, cuja criação está sendo articulada no Município de Tangará da Serra, visando à saúde humana e a proteção ambiental.

“Tenho me esforçado, junto ao Executivo, desde gestões anteriores, para que os conselhos tenham de fato a sua participação ativa perante a sociedade e a administração pública. Estamos reativando o Conselho Municipal do Esporte, depois de algum tempo adormecido (…) e estamos articulando para que seja ativado e criado em Tangará da Serra o Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais. Acredito que a existência desse conselho vai contribuir para o fomento de políticas públicas em prol dos animais em Tangará da Serra, não apenas aqueles que estão em situação de rua, bem como todos os animais, especialmente os domésticos”,
explica o vereador Professor Sebastian,

que tem outras ações permanentes pelas políticas públicas ambientais/animais.

“A minha defesa, articulação e trabalho é para que o mais rápido possível o projeto de lei seja encaminhado a Câmara, como já está em tramitação o Conselho Municipal do Esporte, a fim de que possamos para o próximo ano já iniciar com esse conselho em funcionamento, com a posse pelo Executivo (…) a fim de que via Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais possamos construir a curto, médio e longo prazo, políticas públicas sobre essas pautas”.

Junto a criação do CMPDA, o parlamentar articula a criação do Fundo Municipal de Proteção e Defesa dos Animais, um instrumento de captação, repasse e aplicação de recursos destinados a propiciar suporte financeiro para a implantação, manutenção e desenvolvimento de planos, programas, projetos e ações voltadas a proteção e defesa dos animais.

“Para que em Tangará da Serra a gente consiga dar ênfase e encaminhamentos as políticas públicas de defesa e proteção, especialmente aquelas que são muito cobradas, como o castramóvel e todas as demais atinentes a essas políticas dos animais”.

As receitas serão provenientes de órgãos da União, Estado ou Município, doações do setor privado, pessoas físicas ou jurídicas, acordos e convênios, rendimentos, entre outros.



Notícias da editoria