Diário da Serra

TANGARÁ DA SERRA – IFMT inicia campanha para arrecadar alimentos a animais do Pantanal

Fabíola Tormes / Redação DS 29/09/2020 Geral

Objetivo é arrecadar frutas, verduras e sementes; doações até sexta

Animais estão sem alimentos

Por conta dos incêndios que estão acontecendo desde julho deste ano no Pantanal, principalmente em Mato Grosso, muitos animais estão sofrendo também com a escassez de alimentos.


Para ajudar, o Instituto Federal de Ensino de Mato Grosso (IFMT) Campus Avançado de Tangará da Serra iniciou uma campanha para arrecadar frutas, verduras e sementes para alimentar os animais atingidos pela tragédia.


De acordo com o diretor da unidade, Gilcélio Peres, toda a população pode contribuir com a ação, levando até o IFMT Tangará as doações. “Precisamos de frutas, legumes e também sementes de forma geral”, pede. As frutas e legumes, de preferência, não muito maduras, para aguentarem o transporte até os locais de necessidade. “Irão para Cuiabá e depois do Pantanal”.


Essas doações arrecadadas sairão de Tangará da Serra nesta sexta-feira, dia 2 de outubro, através da ação de servidores do IFMT de Tangará e comunidade. “Consegui um caminhão da reitoria do IFMT, que vem para Tangará na sexta-feira. Um caminhão baú para transportarmos a comida a esses animais”.


Assim, aqueles que quiserem contribuir, explica o diretor, podem levar as doações diretamente ao Campus do IFMT de Tangará ou, se for uma grande quantidade, combinar o carregamento diretamente na empresa. “As doações de frutas e legumes podem ser entregues na sexta-feira de manhã, entre 8h às 12h”.


RECORDES - O Pantanal já registra o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série histórica, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998: foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro até o dia 23 de setembro. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.


Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%.



Notícias da editoria