Diário da Serra

TURISMO RURAL – ALTERNATIVA PARA CONTINUIDADE NO CAMPO

Sidney Tapajós 19/10/2020 Artigos

Buscamos reconhecer no meio rural, uma alternativa econômica, com a implantação do turismo rural, como um complemento da atividade principal

Artigos

A aceleração da urbanização em torno das grandes e médias cidades têm despertado o interesse de muitas pessoas em contatar mais áreas rurais, ir ao encontro da natureza. A experiência de conhecer cenários e paisagens, fugindo do ambiente urbano, que a cada dia se torna mais cheio de concreto e com menos ambiente verde, essa fuga para muitas pessoas, é considerada como alimento espiritual.


Neste cenário, buscamos reconhecer no meio rural, uma alternativa econômica, com a implantação do turismo rural, como um complemento da atividade principal que é a agricultura e esta vai se tornar um atrativo para os visitantes.


É possível desenvolver o turismo nas propriedades rurais de forma planejada e sustentável, proporcionando aos pequenos, médios ou grandes agricultores uma alternativa de renda, possibilitando ganhos econômicos e sociais. O turismo rural contribui para a sensibilização do associativismo, construindo um conjunto para obter resultados mais eficazes. Por uma questão de simplicidade, a constituição de associações locais de turismo rural beneficiou muito instituições e entidades de setores específicos.


O turismo por ser um fenômeno social, onde acontece o deslocamento de pessoas ou grupos, por motivações diversas, que se deslocam de sua residência, além dessa importância social, tem o efeito multiplicador, pelas experiências trocadas, por todas as relações que se iniciam através do turismo.


De um lado, vive-se em um momento em que o mundo do trabalho e da produção vem passando por profundas transformações; esse fato exige iniciativas de criar novos mercados, referenciar e dinamizar economias locais e gerar dois dos pontos mais importantes do capitalismo, o emprego e a renda, por meio de setores como o turismo (SILVEIRA, 2001; CAMPANHOLA; GRAZIANO DA SILVA, 2000).


Atualmente podemos encontrar propriedades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná que já trabalha o turismo rural, dividindo em outros três grupos:
- de origem agrícola;
- de origem pecuária e de colonização européia.


O turismo rural é uma atividade que começa a ser praticada quando o turismo tem seu início como uma atividade econômica, pode-se exemplificar: os hotéis-fazenda, as pousadas rurais, os spas rurais, campings e acampamentos rurais, turismo de caça e pesca, turismo rural científico-pedagógico e turismo rural etnográfico.


O produto gerado pelo turismo rural é um conjunto de bens e serviços organizados em cada propriedade, incluindo os atrativos cultural e natural e a infra-estrutura e, como em todos os setores, a hospitalidade é preponderante para permanência, os visitantes procuram o atendimento familiar e preservação das raízes; harmonia e sustentabilidade ambiental; autenticidade de identidade;


A Empresa Brasileira de Turismo (EMBRATUR) adota um conceito que tem caráter mercadológico, ou seja, é um conjunto de atividades de turismo vinculadas à produção agrícola, adicionando valor ao produto do meio rural, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural das comunidades campesinas (SILVEIRA, 2001).


Na perspectiva do desenvolvimento sustentável do turismo, esse tipo de atividade é parte fundamental do desenvolvimento local baseado no respeito ao patrimônio cultural e natural e na participação direta da população rural. Turistas, população local e meio ambiente.


É importante salientar que o turismo rural não é a solução para os problemas rurais, pois não atinge a todos os agricultores, mas apenas os que possuem uma cultura voltada para a preservação ambiental e a busca de alternativas econômicas para sua continuidade no campo.

 

Sidney Tapajós – Turismólogo e Pedagogo. Especialista em RH e Didática do Ensino Superior. Instagram:Turismo100Subjetivismo/tapajós.sidney@gmail.com           (65) 9 9802-6526



Notícias da editoria